Sociedade

Novos comboios facilitam mobilidade

Alberto Quiluta

Jornalista

O transporte de passageiros na capital vai melhorar com o acréscimo de mais três comboios, já no país, desde domingo último, anunciou, esta segunda-feira, em Luanda, o administrador para a área Operacional, da Agência Nacional de Transportes Terrestre.

04/10/2022  Última atualização 06H37
Novas locomotivas do CFL vão dar outra dinâmica ao processo de transportação de pessoas © Fotografia por: Alberto Quiluta | Edições Novembro

Alberto Quengue disse que as locomotivas vieram acompanhadas de dois veículos motorizados e dois reboques. "São comboios provenientes da República Popular da China, mais modernos, leves, amigas do ambiente e com a capacidade para transportar mais de 700 passageiros, dos quais 190 sentados e 506 em pé”, acrescentou.

Os novos comboios, destacou, vieram acompanhados de 47 caixas, com peças para a manutenção, de forma dar autonomia, durante dois anos, quanto aos trabalhos de reparação.

O responsável da agência, órgão afecto ao Ministério dos Transportes, disse, ainda, que as locomotivas, por serem leves, vão permitir ter mais tempo de vida útil. "Os comboios estão equipados com uma plataforma para as pessoas com deficiência”, adiantou.

A meta, revelou, é, também, melhorar, qualitativamente, a mobilidade urbana de Luanda, nas ligações entre a cidade e o novo Aeroporto Internacional, António Agostinho Neto.

Quanto a entrada em funcionamento das novas locomotivas, Alberto Quengue assegurou que é só depois de cumpridos alguns pressupostos técnicos e feitos os testes operacionais. "As três Unidades Móveis Diesel (DMU) vão ser entregues ao Caminho de Ferro de Luanda (CFL), para ajudar na melhoria da mobilidade urbana na capital”.

O administrador para a área Operacional, da Agência Nacional de Transportes Terrestre, lembrou, ainda, que actualmente estão em funcionamento no país, sete novos comboios. 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) foi criada pelo Ministério dos Transportes, no quadro do processo de fusão entre os Institutos Nacional dos Transportes Rodoviários e dos Caminho-de-Ferro de Angola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade