Economia

Novas locomotivas chegam já em 2020

As últimas 21 locomotivas das 100 que Angola encomendou à General Eletric (GE), no valor de 430 milhões de dólares, chegam ao país no próximo ano, informou na quarta-feira, em Luanda, o director-geral do Instituto Nacional dos Caminhos de Ferro de Angola (INCFA).

12/04/2019  Última atualização 11H51
Arimateia Baptista | Edições Novembro

Ottoniel Manuel, que apresentava o diagnóstico do subsector dos transportes ferroviários, referente aos períodos que vão de 1973 a 1990 e 2002 a 2017, disse que 79 locomotivas já estão no país e distribuídas pelos Caminhos de Ferro de Luanda, Moçâmedes e Benguela.
Segundo o responsável, citado pela agência Angop, as locomotivas têm duplo sistema de funcionamento, diesel e eléctrico, e foram adquiridas com o financiamento da Agência Pública de Apoio à Exportação do Canadá.
Numa análise ao sector, Ottoniel Manuel referiu que o período entre 1973 e 1990 foi marcado com o transporte de milhões de toneladas de carga, nomeadamente minerais e matérias-primas que eram exportadas, tendo o Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM) chegado a transportar seis milhões de toneladas de mercadorias, o Caminho de Ferro de Benguela (CFB) três milhões e o Caminho de Ferro de Luanda (CFL) dez milhões.
O responsável recordou que, naquele período, o CFB estava provido de 123 locomotivas, o CFM de 81 e o CFL de 64.
Relativamente ao período de 2002 até à data, o director-geral do INCFA afirmou que marcou a recuperação e reabilitação das linhas férreas e estações, nomeadamente a substituição de travessas, e o aumento da capacidade de 20 para 22 toneladas por eixo, além da formação de quadros, com a construção de três centros de formação nas províncias do Huambo, Luanda e Huíla.
No que diz respeito aos acidentes e incidentes que ocorrem ao longo da via, Ottoniel Manuel atribuiu as causas “à ausência ou insuficiência de equipamentos de comunicação”.
Os Caminhos de Ferro de Angola têm uma extensão de 2.708 quilómetros, subdivididos pelo CFB (1.344 quilómetros), CFM (904 quilómetros) e CFL (460 quilómetros).
O acordo com a gigante americana GE prevê o fornecimento de 100 locomotivas novas e a reparação e modernização das antigas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia