Economia

Nova Iorque: Bolsa reage mal a boas notícias sobre o emprego

A Bolsa de Nova Iorque (NYSE, sigla em inglês) encerrou a semana sem direcção, apesar dos surpreendentemente fortes números da criação de emprego, precisamente por estes poderem sinalizar futuras subidas das taxas de juro pela Reserva Federal (Fed).

07/08/2022  Última atualização 15H25
Dados positivos interpretados pela pendor para elevação dos juros © Fotografia por: DR

Os resultados definitivos da sessão de sexta-feira indicam que o índice Dow Jones Industrial Average progrediu 0,23 por cento. Ao contrário, o tecnológico Nasdaq recuou 0,50 pontos percentuais (pp), depois de ter chegado a estar a perder 1,30 pp, e o alargado S&P500 baixou 0,16 pp.

Parece que os investidores "racionalizaram a primeira reacção impulsiva”, que tinha sido a de vender depois do anúncio, pouco antes da abertura da bolsa, da criação de 528 mil empregos em Julho, mais do dobro dos esperados 250 mil pelos analistas, disse Patrick O’Hare, da Briefing.com, à AFP.

Os investidores acabaram por "pensar que estes números mostram que a economia pode suportar” o endurecimento monetário da Fed.

"A outra ideia é a de que o relatório sobre o emprego é um indicador retardado”, ao mostrar um estado já passado da actividade e que "outros se vão seguir”, como o da inflação na semana que hoje começa.

Mas o mercado accionista não ficou feliz com a boa criação de emprego, a descida em 0,1 pp da taxa de desemprego para 3,5 pp e, sobretudo, da subida dos salários horários (5,2 por cento em termos anuais), por os investidores recearem que a Fed endureça ainda mais a política monetária para arrefecer a economia.

"Estes dados são mais fortes do que previsto. Os investidores estavam convictos, depois da última reunião da Fed, em julho, que esta ia mudar de orientação e fazer menos” nas taxas de juro, disse Mazen Iça, da TD Securities.

"Mas estes números vão contra esta ideia e apresentam mais uma economia que vai ter necessidade de ser travada”, acrescentou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia