Opinião

Nova cooperação

Editorial

A recente visita do Presidente da República à Turquia culminou com a assinatura de dez importantes acordos negociados ao mais alto nível.

29/07/2021  Última atualização 04H00
Depois de João Lourenço ter incentivado as empresas da Turquia, que é tão só a 18ª maior economia do mundo, em termos de Produto Interno Bruto,  a interessarem-se pelas parcerias público-privadas que serão desenvolvidas em Angola, foi também concretizado um acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos, um instrumento legal que vai dar maior confiança e segurança jurídica aos investidores dos dois países.

Noutra vertente, o Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) e a Organização de Desenvolvimento da Indústria de Pequenas e Médias Empresas (KOSGEB) da Turquia celebraram um memorando de entendimento que vai permitir a partilha de conhecimentos e experiências direccionadas para este segmento.

Angola e a Turquia também estarão, a partir do mês de Outubro, servidas por uma ligação aérea directa através das respectivas companhias de bandeira, a TAAG - Angola Airlines e a Turkish Airlines.

Ficou ainda assegurada a implementação de uma linha de financiamento para que as grandes empresas turcas possam realizar empreitadas em infra-estruturas como caminhos-de-ferro, estradas, portos e aeroportos.

A Turquia é um país altamente industrializado, uma espécie de fábrica-do-mundo moderno, especialmente no sector têxtil, nas várias indústrias alimentares, na construção civil e nas engenharias.

Aquele interessante país, nascido dos escombros do Império Otomano, utiliza a sua história e posição geográfica para insuflar o Ocidente e o Oriente com enorme conhecimento.

Com a visita de João Lourenço, foram lançadas bases concretas que poderão ser desenvolvidas no curto e médio-prazo.
Tayip Recep Erdogan colocou o continente africano entre as suas prioridades económicas, sobretudo, como forma de expandir influência e aumentar a integração económica fora dos principais mercados.

Angola tem aqui mais uma oportunidade para alargar horizontes e colocar a agenda nacional no topo de prioridades da nova cooperação. A Turquia surge, assim, como uma porta de entrada de Angola naquele importante  mercado entre a Europa e a Ásia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião