Economia

Nova central térmica aumenta a oferta de energia na Huíla

A província da Huíla vai beneficiar, a partir de hoje, de uma adução de 25 MW de potência de energia térmica à rede pública.

17/06/2021  Última atualização 10H10
Em várias regiões do país foram instaladas centrais térmicas que permitiram a expansão da energia da rede pública © Fotografia por: DR
De acordo com o Ministério da Energia e Águas, este aumento vai colmatar o déficit no fornecimento de energia eléctrica de 80%, que condicionava a vida das populações da cidade do Lubango.

 Para constatar o aumento desta potência e radiografar o nível de execução das infra-estruturas do sector em diferentes localidades, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, desloca-se hoje à província da Huíla, com uma delegação composta pelo secretário de Estado para Energia, António Belsa da Costa, PCA da PRODEL, administradores da PRODEL, RNT, ENDE e outros responsáveis das empresas tuteladas.

 De acordo com a nota, a solução mais eficiente e definitiva é a interligação do sistema Centro e Sul, a partir da linha de 400 KV, por via da Subestação de Belém do Huambo, com o reforço de 220KV do Gove/Matala, que já conta com os estudos de viabilidade técnica, económica e ambiental, e em curso o processo que visa a contratação do consultor para implementação do plano de reassentamento das populações.

 No subsector eléctrico a nível da distribuição de energia, a Huíla atende uma ponta máxima de 50,5MW, com um grau de atendimento de 71,7%; uma rede de Média Tensão com 726,55km, sendo 69,4km de rede subterrânea e 650,31km de rede aérea. A Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade na província controla 483 Postos de Transformação, sendo 247 privativos e 236 públicos, com uma potência total instalada de 206.252 kVA. Conta com 86.200 clientes cadastrados nos sistemas de gestão comercial e a taxa de electrificação da província é de 19,2 %.

 No subsector das Águas, os sistemas de abastecimento em zonas urbanas para a sede provincial do Lubango, está em curso o contrato de empreitada para construção de 140 km de rede de distribuição e 20.000 ligações domiciliárias, abrangendo a parte urbana e periurbana da cidade. Já foram assinados os contratos para a construção dos reservatórios do Lubango, pela empresa Jiangsu, no valor de USD 5.993.554,49, e os trabalhos não foram ainda iniciados.

A prestação de serviços para a Fiscalização da Concepção e Construção dos reservatórios do Lubango está a cargo da empresa DAR, no valor de USD 1.500.000,00. Em curso, está igualmente a construção de mais dois Furos no Novo Campo de Furos da Senhora do Monte, no Lubango, contratada a empresa CEZC, no valor  de USD 1.999.434,69.

 Para a sede municipal da Cacula, estão em curso as "obras de reforço do sistema de abastecimento de água à localidade da Cacula”, cujo contrato foi celebrado com a empresa SINOMACH, no valor de USD 14.300.150,00. Foi igualmente celebrado contrato para fiscalização da empreitada, com a empresa GB consultores, no valor de AKZ 136.648.824,00. O contrato apresenta 55% de execução física, 62% de facturação e 96% de pagamentos, relativamente ao valor facturado, tendo sido construída a rede de distribuição, e os trabalhos na captação e condutas adutoras foram iniciados. Por dificuldades financeiras do empreiteiro, a obra encontrava-se parada, tendo os trabalhos já sido retomados.

 Para a sede municipal de Caluquembe, foi celebrado o contrato para as "obras de reforço do sistema de abastecimento de água à localidade de Caluquembe”, ao consórcio Shaolin/ACEG, no âmbito dos Eurobonds, pelo montante de AKZ 7.354.486.756,76. O projecto executivo encontra-se aprovado e o estaleiro montado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia