Regiões

Nóqui assinala 59 anos sob várias dificuldades

A população do município fronteiriço do Nóqui, na província do Zaire, comemorou, domingo, a 12ª edição das festividades da região, no quadro dos seus 59 anos desde que ascendeu à categoria de vila, a 1 de Agosto de 1962, apesar de enfrentar uma série de dificuldades, no domínio socioeconómico.

03/08/2021  Última atualização 04H20
Ângulo do Nóqui onde estão em execução vários projectos para melhorar a qualidade de vida © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Nóqui
As principais dificuldades dos cerca de 23.880 habitantes da vila que faz fronteira com a região congolesa democrática de Matadi (RDC) estão relacionadas aos sectores da Saúde, Educação, bem como às vias de acesso.
Para minimizar as referidas dificuldades dos habitantes do Nóqui, cerca de 175 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, as autoridades administrativas locais e provinciais estão empenhadas na criação de condições sociais básicas.

A título de exemplo, foram inaugurados, no passado dia 31, nas localidades do Nkosa e Kissilua, situadas a cerca de dez e seis quilómetros da sede municipal, dois furos, com seis torneiras e um tanque de cinco mil litros cada, para melhorar o abastecimento de água potável à população. Também foi consignada a obra de abertura de um outro furo de água na localidade do Tomboco, 35 quilómetros da sede municipal.

No próximo mês de Setembro, de acordo com o programa das festividades do Nóqui, dois novos furos de água vão ser inaugurados, enquanto se aguarda pela construção de um sistema integral para abastecer a vila.
No âmbito educativo, foram consignadas as obras de construção de uma escola com sete salas de aula, na aldeia do Lufundi, na comuna do Mpala, orçadas em 66.535.478,10 kwanzas, projecto enquadrado no Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

Quanto às vias de circulação, no âmbito das festas da vila do Nóqui, foram consignadas obras de construção de uma ponte sobre o rio Ntava-Nkosi, na localidade de Nkosi, que terá 8.40 metros de comprimento e 4.40 de largura, com vista a facilitar o escoamento dos produtos agrícolas.
Para a melhoria da imagem arquitectónica da vila do Nóqui, foram adjudicadas as obras de requalificação de jardins do casco urbano, com um orçamento de  21.990.660,00 kwanzas, cuja empreitada, a cargo da empresa "Urbalux”, enquadra-se no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Segundo a vice-governadora do Zaire para o Sector Económico, Político e Social, Fernanda Guerra, os equipamentos sociais colocados à disposição da população são de grande valia, na medida em que concorrem para a melhoria da qualidade de vida.

"Estamos a testemunhar as actividades alusivas a mais um aniversário da vila do Nóqui, com destaque para a inauguração de dois furos de água e a consignação de obras de uma escola. O nosso papel principal é resolver os problemas que afligem a população, porque, não obstante ao défice financeiro, devemos diminuir os problemas sociais. Em Setembro serão inaugurados mais dois furos de água e uma escola de 12 salas de aula, no âmbito do PIIM”, assegurou Fernanda Guerra.


Principais dificuldades

O administrador municipal do Nóqui, Manuel António, disse que os 23.880 habitantes da região enfrentam várias dificuldades, com destaque para o mau estado da estrada Mbanza Kongo/Nóqui, com 165 quilómetros, situação que atrasa o desenvolvimento social e económico local, devido aos constrangimentos no processo de escoamento dos produtos do campo, bem como ao abastecimento logístico da região.

"A estrada constitui o principal problema dos habitantes do Nóqui, mas temos fé de que, com a intervenção em curso, dentro de oito meses esteja em melhores condições de transitabilidade. Outra situação que aflige a população tem a ver com a falta de água potável e oportunidades de emprego para a juventude”, acrescentou o administrador.
Por seu turno, Leonardo José, soba do bairro Nkossa I, mostrou-se satisfeito com a inauguração do furo de água na sua localidade, cujos 375 habitantes deixam de acarretar água em cacimbas ou directamente dos rios.

"Ainda falta muito trabalho por realizar, tais como a asfaltagem da estrada Mbanza Kongo/Nóqui, assim como a ponte sobre o rio Ntava-Nkosi, onde atravessamos para ir à lavra”, disse o soba.
O Nóqui é um dos seis municípios da província do Zaire, com uma extensão de 5.275 quilómetros quadrados. Conta com cerca de 28.880 habitantes, distribuídos em três comunas, nomeadamente Mpala, Lufico e a sede. A população dedica-se, essencialmente, à agricultura e pesca.

Jaquelino Figueiredo e Fernando Neto | Nóqui


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões