Sociedade

“Njinga Mbandi” aposta na qualidade dos docentes

Luisa Victoriano | Malanje

O reitor da Universidade Rainha Njinga a Mbandi, Eduardo Ekundi Valentin, assegurou que o seu programa de acção para os próximos anos, contempla o recurso à cooperação nacional e internacional para a abertura de cursos de pós-graduação, submeter os cursos da URNM a processos de avaliação interna e externa, como forma de garantir maior qualidade dos quadros

28/06/2022  Última atualização 09H20
Instituição conta com o empenho dos professores e alunos para ensino de excelência © Fotografia por: Dr

O responsável, que falava no acto da tomada de posse, sexta-feira passada, garantiu que vai trabalhar para que a universidade seja uma instituição de qualidade , excelência e inovadora, contando com o empenho dos professores, alunos, funcionários administrativos e de todas as forças  vivas da província de Malanje. 

O reitor, assegurou que o seu programa de acção para os próximos anos, assenta em dez eixos estruturantes nos domínios das infra-estruturas, oferta formativa e alinhamento com o sector produtivo, vida estudantil, criação de condições para o ensino e aprendizagem,  recursos humanos, investigação científica e extensão, cooperação e internacionalização, comunicação e imagem, promoção cultural, desportiva, gestão administrativa e patrimonial. 

Além de Eduardo Ekundi Valentin, foram também empossados, do corpo directivo da  Universidade Rainha Njinga a Mbandi, em Malanje, saído das primeiras eleições daquele órgão realizadas em  Maio último, os vice-reitores para as áreas científica, pós-graduação e assuntos académicos, Bettencourt Runanga e Osvaldo Pelinganga, respectivamente.
 

Orientação estratégica

O secretário de Estado para o Ensino Superior, Eugénio Alves da Silva, considerou que o acto se alinha nas políticas de desenvolvimento do país, à luz do plano de crescimento nacional e de orientação estratégica. 

Acrescentou que representa o começo de uma nova época de democratização do  sector das instituições públicas do ensino superior em Angola, abrindo perspectivas para um caminho bem sucedido. 

Segundo o responsável, a criação da Universidade Rainha Njinga a Mbandi enquadra-se no âmbito da reorganização da rede pública de instituições de ensino superior e trouxe novo impulso no sector do ensino superior na região de Malanje e uma nova dinâmica do subsistema que se expandiu quantitativamente. 

Referiu por outro lado, que a tomada de posse do novo corpo directivo, demonstra a valorização da dimensão democrática   da gestão universitária tendo salientado que o reitoria é um órgão que tem de ser articulado com os outros órgãos colegiais e individuais e ter uma gestão eficiente, visando a concretização da missão da universidade, assim como a autonomia universitária como princípio e condição que permite aos órgãos de gestão a assumpção do seu destino, reflectindo no plano de desenvolvimento institucional e na acção orientada para alcançar os objectivos e metas do  desenvolvimento institucional e nacional. 

Vice-governador

O vice-governador para o Sector Social e Económico, Domingos Eduardo, disse que o empossamento do novo corpo directivo constitui, para o governo de Malanje, um importante marco histórico e enquadra-se na materialização das políticas estratégicas nacionais contidas no plano de desenvolvimento nacional 2018/2022, que define as prioridades de intervenção para a política de ensino superior. 

De acordo com o governante, consta das prioridades de intervenção, melhorar a rede de instituições de ensino superior, aumentar a oferta de pós-graduação e melhorar a qualidade de ensino ministrado com o reforço da qualificação dos mestres e doutores, desenvolver o sistema de avaliação e certificação do ensino superior, assim como promover a investigação e desenvolvimento nas universidades e nos centros de divulgação, partilhas e acesso a dados nacionais e internacionais. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade