Sociedade

Nharêa necessita de especialistas em Saúde

José Chaves/Andulo

O novo Hospital Municipal da Nharêa, província do Bié, com capacidade instalada de 100 camas, precisa, com urgência de médicos especialistas em Cirurgia, Obstetrícia, Ortopedia e Estomatologia, para dar resposta ao elevado número de casos relacionados com as referidas áreas.

17/09/2022  Última atualização 06H25
© Fotografia por: DR

O grito de socorro foi dado, ontem, pelo director municipal da Saúde, Aclino Sanjala, que realçou que a instituição carece, igualmente, de um técnico de Imagiologia.

Desde que foi aberto ao público, em Julho último, o hospital recebe muitos pacientes, cujas complicações recomendam a observação e acompanhamento dos referidos especialistas.

Realçou que o hospital foi concebido com serviços específicos, mas está sem esses especialistas, o que coloca em causa uma série de normas elementares da Medicina, caso esses equipamentos e áreas sejam operaccionadas com pessoas não preparadas para o efeito.

Aclino Sanjala acrescentou que, por falta de técnicos (médicos e enfermeiros), o hospital presta apenas serviços de Medicina, Pediatria, Análises Clínicas e consultas pré-natais.

A unidade sanitária tem apenas três médicos e 80 técnicos de Enfermagem, número que o director municipal considerou exíguo, tendo em conta os 126.339 habitantes que a Nharêa possui.

O responsável do sector da Saúde, na Nharêa, referiu que, além de técnicos de laboratório, o município necessita, ainda, de 90 enfermeiros e sete médicos.

Sublinhou que as áreas de Pediatria, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Obstetrícia, Ginecologia, Imagiologia, Estomatologia e o Bloco Operatório são as áreas que mais precisam de quadros.

Aclino Sanjala afirmou que, apesar das limitações impostas pela escassez de técnicos, o hospital tem estado a desenvolver esforços para combater o índice de mortalidade nas comunidades.

O director municipal realçou, por outro lado, que, ultimamente, o município tem registado muitos casos de sarna, enfermidade que, juntamente, com a malária e as doenças respiratórias e diarreicas agudas lideram as estatísticas de enfermidades que mais assolam a população. 

 

Rede sanitária 

Dados apresentados pela Direcção Municipal da Saúde referem que aquela parcela da província tem uma rede sanitária composta por 17 unidades, entre as quais, um hospital municipal, cinco centros de saúde e 11 postos de saúde.

Os serviços de saúde na sede municipal e nos grandes aglomerados populacionais são garantidos por três médicos, dois técnicos superiores de Enfermagem, 140 técnicos médios e um especialista em laboratório e análises clínicas. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade