Cultura

Mussunda N’zombo expõe no Elevens Art Studio

Analtino Santos

Jornalista

O artista plástico Mussunda N’zombo apresenta hoje, às 17h00, no Elevens Art Studio, em Talatona, uma exposição e a performance “Entidades e Identidades Entrecruzadas”, numa parceria com o Goethe Institut Angola.

22/07/2022  Última atualização 10H05
Mussunda N’zombo retratado numa performance da obra © Fotografia por: Edições Novembro

O projecto de foto-calendário para o ano 2075, em que o artista imagina Angola com 100 anos de Independência, foi apresentado no dia 19 de Maio, na Galeria "8 em Ponto”.

 Em "Entidades e Identidades Entrecruzadas” o artista encarna, através da fotografia performativa e performance ao vivo, o imaginário identitário de quatro personagens distintas ao longo dos doze meses do ano do centésimo aniversário da independência de Angola, num futuro distante, em narrativas visionadas.

São doze artistas e fotógrafos, nomeadamente, Lee Bogotá, Bruno Fonseca, Indira Mateta, Flávio Cardoso, Hélio Buite, Dralton Máquina, Osmar Edgar, Artur da Silva, Ibaku, Mwana Pwo, Rui Magalhães e Kiluanji kia Henda, que participam no calendário e nas fotografias da exposição que apresenta no auge do centésimo aniversário da "Dipanda”, consolidação nacional e apresentação ao mundo como uma nação multicultural que tem como lema " um só povo uma só nação”.

Mussunda N’zombo é artista visual e performativo, com uma prática eclética que combina vários elementos das artes dramáticas e cénicas, com uma forte inclinação para a sátira, a paródia e a tragicomédia. As performances são capturadas ao vivo, em fotografia performativa ou vídeo-performance, retratam narrativas identitárias pouco abordadas publicamente, bem como as realidades situacionais entre o "urbano” e o "rural”, a aculturação e desaculturação de comunidades em Angola, coexistências geracionais e os fenómenos peculiares do exercício do poder social e político no continente.

O seu trabalho descreve e imprime o meio em que vive. Pelas diferentes realidades que projecta, é frequentemente descrito como sociopolítico e pluricultural. Natural de Luanda, Mussunda N’zombo entrou no mundo da arte a partir da dança coreográfica, na década 1980. Em 1990, emigra para Portugal e posteriormente para França. Depois de alguns anos acaba por fixar-se na Alemanha, onde se torna uma figura conhecida da cultura, na cidade de Friburgo. Após regressar ao país, passou a colaborar em diversos projectos, com realce ao "Fuckin’ Globo”, com vários artistas da sua geração, como Kiluanji kia Henda, Yonamine, Thó Simões, Angel Yhosnanni, Luís Damião e Dom Ruelas.

A galeria "Elevens Art Studio” está situada em Talatona, sendo um espaço multifuncional e apresenta um conceito "lifestyle”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura