Cultura

Músicos dos PALOP?

Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa – PALOP. É importante reconhecer que são poucas as referências de artistas dos PALOP nas playlists pan-africanas.

22/05/2022  Última atualização 14H45
© Fotografia por: DR

Dessas referências não podemos deixar de fora nomes como Bonga e Cesária Évora. De Bonga não escolhemos um tema mas sim o álbum "Angola 72”, pela carga interventiva e valor histórico. Se o americano Will Smith tem "Mona  Kingixiça” como obrigatório, o álbum onde este tema consta é imperativo para quem queira conhecer o poder que a música teve no processo de emancipação naciona.

De Cissi (27 de Agosto de 1941 - 17 de Dezembro de 2011) baptizada mundialmente como Diva dos Pés Descalços, fica aqui "Sodade”. Curiosamente uma das primeiras reinterpretações deste clássico mundial foi do angolano Barceló de Carvalho, o Bonga Kwenda, homem que veio ao mundo aos 5 de Setembro de 1942 em Porto Kipiri.

Encerramos esta proposta de roteiro musical com o tema de abertura, "Ayé Africa” de Franklin Boukaka, numa versão feita pelo grupo de rap Bisso na Bisso. Com esta playlist os afro-realistas, que constituem a terceira via dos africanistas, pois não embarcam nem no afro-positivismo e muito menos no afro-pessimismo, têm uma desafiante trilha sonora para os vários momentos de África. Quem sabe, noutra altura, apresentemos um alinhamento com as novas tendências, tendo em caixa alta Burna Boy, a novel estrela nigeriana de dimensão mundial, que conquistou o Global Music nos Grammy de 2021, a categoria que substituiu a polémica World Music na academia americana. A gigante Anjelique Kidjo, por sinal a última vencedora do Grammy no quesito World Music, oportunamente disse: "Burna Boy representa uma nova África”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura