Cultura

Músicos angolanos falam sobre Kisom

Depois de quase dois meses de actuação no palco do Kisom em Casa nos diversos estilos musicais interpretados por vozes renomadas, bem como as que esperam alcançar um lugar no mercado musical angolano, os artistas falaram sobre a experiência em participar no projecto, da Unitel, em parceria com o Platinaline.

30/08/2021  Última atualização 08H10
Cantor Miguel Buila enalteceu a iniciativa © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro
Os músicos Mona Nicastro e Cilana Manjenje acreditam ser uma iniciativa muito boa e de louvar, sendo que a mesma tem sido uma fonte de renda para artistas nacionais, uma vez que o Kisom é a primeira plataforma em Angola, na qual os músicos recebem alguns valores.

Já Mónica Abrantes, Edgar Meneses, Allje, Twizzy Ma-riotti, Alcides de Carvalho, Júlio Kelinho, John Melaço, Tuga Agressiva, Moicanos, Terrabayt e Magnesio consideraram este projecto um ganho para a cultura angolana, pois trouxe a esperança para muitos que já pensavam em desistir por conta das restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

Apesar das saudades que sentem de cantar na presença do público, ou seja, estar próximo dos seus admiradores, Rei Loy, Francis MC Cabinda, Puto Lilas, Sarissari, Dama Ludmila, Khedyras e Sello Gucci olham para esta brilhante iniciativa como uma passagem que vai catapultar a carreira dos artistas nessa época pandémica e permitir que os seguidores consigam sentir o calor dos artistas.

Tal como os artistas já mencionados, Miguel Buila, Kelly Silva, Sandra Cordeiro, Samara Panamera, Sandokan, L’Vincy, Kumbi Lixia, Milson, Anderson Mário e Bass, que passam pelo palco do Kisom em Casa,  enalteceram o projecto, frisando ser uma oportunidade de aproximação entre os artistas e o público e de igual modo, mostrar os trabalhos que foram sendo preparados durante o período de isolamento social.


Sobre a iniciativa 

O "Kisom em Casa” é um projecto que vem para agregar e massificar, devolver sorrisos e alegrar o coração dos angolanos numa fase difícil para todos. Duas propostas de reinvenção de alguns artistas e produtores na produção de conteúdos audiovisuais, utilizando a plataforma Netshow e a Platinaline, como os principais impulsionadores, em tempo de pandemia. O projecto, que tem aproximado os artistas angolanos dos seus admiradores, engloba mais de 100 artistas que estão a realizar e disponibilizar os lives nas suas redes sociais e da Platina FM.

A iniciativa pretende apoiar os artistas, que devido à pandemia se vêem impedidos de apresentar os seus trabalhos e para tal contam com o apoio da Unitel, em parceria com o grupo Platinaline, que durante 60 dias levará o melhor do entretenimento aos ouvintes e internautas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura