Cultura

Museu de Cabinda vive dificuldades

Bernardo Capita | Cabinda

Jornalista

O Museu Regional de Cabinda tem tido algumas dificuldades financeiras, que impedem a realização de projectos, inclusive dos trabalhos de sensibilização e de recolha de peças, devido a falta de uma viatura, explicou, quarta-feira(17), ao Jornal de Angola, a directora da instituição, Maria Imaculada Dias.

19/05/2022  Última atualização 10H05
© Fotografia por: DR

A solução, muitas vezes, revelou, tem sido o uso do seu carro pessoal, para ir ao encontro das famílias que vivem no meio rural.

Outro contratempo da instituição, disse, é a exiguidade de funcionários. O museu, contou, tem apenas nove funcionários, "número  insuficiente para manter o espaço a funcionar de forma integral”.

"Precisamos de ter mais trabalhadores, em especial quadros qualificados para o sector, de forma a poder completar, adequadamente o número de pessoal afecto à instituição, que é de 40 funcionários, como está regulamentado”, disse.

 

Visitantes

Até ao primeiro trimestre deste ano, disse, pelo menos 902 pessoas visitaram o Museu Regional de Cabinda. Com base em dados estatísticos da instituição, a maioria dos visitantes são estudantes, de vários níveis do ensino, incluindo o universitários.

Os visitantes, com idades entre os 13 e os 59 anos, pagam um valor de 160 kwanzas para aceder ao espaço. O valor sobe para 300 kwanzas, caso o turista pretenda serviço de guia. "A  Covid-19 influenciou muito, de forma negativa, na redução do número de visitas, mas hoje a realidade é outra e já tende a mudar”, destacou.

Para celebrar o Dia Internacional dos Museus, o Departamento de Investigação Cientifica do museu, esclareceu a directora, realizou ontem, a apresentação do livro "As problemáticas socioculturais do casamento tradicional em Cabinda”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura