Mundo

Mulheres protestam contra Alpha Condé

Cerca de um milhar de mulheres, da Frente Nacional para a Defesa da Constituição (FNDC, oposição) na Guiné Conacry manifestaram-se ontem de manhã nas ruas da capital para exprimirem “insatisfação contra as recentes mortes em comícios”, noticiou a Panapress.

21/11/2019  Última atualização 08H46
DR © Fotografia por: Manifestantes saem às ruas contra alteração da Constituição

Numa extensão de cerca de dois quilómetros, as mulheres, vestidas de vermelho ou de branco, percorreram as artérias de alguns bairros dos subúrbios de Conacry entoando palavras de ordem hostis ao Governo no poder, nomeadamente ao Chefe de Estado, Alpha Condé.
Nos cartazes, podiam ler-se: “Libertem os nossos maridos e os nossos filhos”, “Chega de mortes dos nossos filhos”, “É demais”, “Queremos justiça para os nossos filhos”.
À margem da manifestação, seguida pelas forças de defesa e segurança, a porta-voz da FNDC, Hadja Maimouna Bah Diallo, deputada e vice-presidente da União das Forças Democráticas de Guiné (UFDC), o principal partido da oposição, afirmou: “Saímos às ruas para dizer basta às mortes aos nossos filhos. Desde que a FNDC começou as manifestações, houve cerca de 20 mortos”.
Por seu turno, Hadja Sarangbé Condé, presidente das mulheres da FNDC, disse que as mulheres exigem a instauração de uma comissão de inquérito para encontrar criminosos e puni-los.
Criada em Abril último por membros da sociedade civil, a FNDC é constituída por artistas, sindicalistas e líderes políticos da oposição que afirmam estar determinados a impedir a organização de um referendo destinado a mudar a Constituição para permitir ao Presidente Alpha Condé disputar um terceiro mandato, em finais de Outubro de 2020.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo