Política

Mulheres exortadas para a mobilização e sensibilização permanente no Cunene

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

Jornalista

A primeira-secretaria da Organização da Mulher Angolana (OMA), no Cunene, Lúcia Yoleny, exortou as mulheres para a responsabilidade de mobilizar e sensibilizar permanentemente as massas populares para o engrandecimento do partido no poder (MPLA).

05/12/2022  Última atualização 07H06
primeira-secretaria da Organização da Mulher Angolana © Fotografia por: Arquivo

Lúcia Yoleny falava na abertura da IV reunião ordinária da organização, que fez o balanço do trabalho realizado durante a pré-campanha, campanha eleitoral e cumprimento dos planos de actividades de Março a Novembro do corrente ano.

Segundo a dirigente da OMA, o encontro permitiu melhorar o trabalho e corrigir os erros que ainda foram cometidos. Acrescentou que os assuntos da organização carecem de um tratamento especifico, por ser uma instituição assente na política ideológica do MPLA, o partido que governa o país desde a Independência.

"O envolvimento da OMA no processo eleitoral de 2022 foi demostrado pela resiliência da organização, que juntou os militantes do MPLA e da JMPLA, simpatizantes e amigos, colocando a imagem do partido e da província num historial inédito do país, ao ser a única província que conquistou os cinco lugares no Parlamento”, disse a responsável da organização feminina do MPLA.

Referiu que as Eleições Gerais de 24 de Agosto de 2022 foram difíceis. Por um lado, deveu-se à situação política e económica que o país atravessa e, por outro, o povo do Cunene soube lidar com o momento e "reconhecer que o MPLA é e sempre será a escolha certa”.

Realçou que, para isto, os dirigentes têm de colocar a "máquina” a trabalhar e mudar a rotação, "porque cabe manter a tradição que sempre caracterizou o partido, com dificuldades ou não”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política