Política

MPLA promete aperfeiçoar controlo das finanças públicas

O MPLA propõe-se, este ano, aperfeiçoar o sistema de acompanhamento e controlo das finanças públicas, como forma de prevenir os crimes de corrupção, informou, ontem, em Luanda, o primeiro secretário do partido, Sérgio Luther Rescova.

08/03/2020  Última atualização 09H25
Mota Ambrósio | Edições Novembro © Fotografia por: Luther Rescova pediu maior divulgação da agenda política apresentada ontem aos militantes

Sérgio Luther Rescova, que exigiu de todos maior engajamento nas acções de carácter preventivo, falava no acto político de lançamento da Agenda Política do MPLA para este ano.

Segundo o primeiro secretário do MPLA, o que se pretende “é apoiar os mecanismos que garantam um melhor desempenho do funcionalismo público, em respeito aos princípios e regras da boa gestão, promovendo internamente a cultura de prestação de contas e a execução gradual nos limites da Constituição e da Lei”.
No domínio da reforma do Estado, o primeiro secretário disse que o MPLA propõe-se a acompanhar a dinamização, supervisão e avaliação das reformas do Estado em curso, em particular na Administração Pública e Local, Justiça e organização do funcionamento do Parlamento.

Atenção aos investimentos
O primeiro secretário do MPLA informou que o partido pretende, também, acompanhar e avaliar a execução do PIIM(Plano Integrado de Intervenção nos Municípios), que privilegia a implementação de acções prioritárias ao nível dos municípios, para a melhoria das condições de vida da população.
“ Não basta implementar, é tarefa do partido avaliar também o impacto real que as medidas estão a causar no seio da população, visando a melhoria efectiva da sua condição social”, disse.
Sérgio Luther Rescova explicou que a estratégia do MPLA em 2020 consiste em intensificar as reformas políticas e económicas em curso e a mobilização do partido para os desafios políticos e eleitorais que consistem na reorganização das estruturas partidárias e reforço da influência do partido no seio da sociedade.
O primeiro secretário pediu mais divulgação da agenda política, adiantando que o partido propõe-se manter o diálogo e concertação permanente com a sociedade civil na abordagem de assuntos nacionais e de relevância local.
O dirigente garantiu o apoio na resolução dos principais problemas dos antigos combatentes e veteranos da Pátria, bem como o seu engajamento nas acções sociais permanentes que visam fortalecer o MPLA e o seu nível de influência nos vários segmentos da sociedade.
No domínio da preparação para o processo autárquico e do papel fiscalizador da Assembleia Nacional, Sérgio Luther Rescova adiantou que o MPLA vai continuar a aplicar a sua estratégia eleitoral e de acompanhamento à acção legislativa e fiscalizadora com vista à aprovação do Pacote Legislativo Autárquico.

Força da mulher
No Uíge, o primeiro secretário do MPLA disse contar com boa parte da força de mulheres filiadas no partido, e não só, para a materialização das linhas orientadoras da Agenda Política 2020, lançada ontem na província, por representarem a maioria da população.
Pinda Simão, que falava no acto de massas que também serviu de comemoração do Dia da Mulher Angolana, assinalado a 2 de Março, reconheceu que o crescimento das bases da OMA nos últimos anos revela uma força feminina pronta para ajudar o partido a materializar as reformas políticas, económicas e sociais que constam da Agenda Política do MPLA e na mobilização das massas para os próximos desafios.

Partido preocupado
No Zaire, o primeiro secretário do MPLA, Pedro Makita, exortou, na vila petrolífera do Soyo, os militantes a juntarem-se na luta contra a corrupção e outros hábitos negativos que corroeram o tecido social e económico do país.
Pedro Makita, que falava à margem do acto provincial de lançamento da Agenda Política do MPLA, informou que o partido está preocupado com a actual situação social das populações, daí que o combate à corrupção, nepotismo, impunidade e bajulação seja fundamental para garantir o bem-estar dos cidadãos.

“Mulheres são o rosto do progresso de Angola”

As mulheres devem continuar a ser o rosto da força e do progresso do país, considerou ontem, no Luena, o secretário-geral do MPLA, Paulo Pombolo.
Falando na abertura das comemorações do 2 de Março, Dia da Mulher Angolana, Paulo Pombolo explicou que o Executivo tem vindo a trabalhar para o reforço dos serviços de educação, humanização do sector da Saúde, criação de um ambiente macroeconómico favorável ao investimento e ao incentivo à produção nacional, substituição das importações para efectiva diversificação da economia e a geração de novos empregos. “Contamos com a experiência da OMA, com a sua intervenção no movimento associativo, nas cooperativas de produção, sobretudo no meio rural, na preparação das jovens, na moralização da sociedade, na construção de novos diálogos e no fortalecimento de uma cultura de paz e harmonização social”, disse.
O secretário-geral do MPLA reconheceu os desafios ainda por vencer, com o apoio de todos. “Façamos bem o nosso trabalho político, mantendo sempre o foco com olhos bem abertos, com vigilância e disciplina”, apelou.

Mulheres unidas  contra a corrupção
A secretária-geral da OMA, Luzia Inglês Van-Dúnem “Inga”, na sua mensagem, aconselhou as mulheres a continuarem a responder positivamente aos desafios lançados pelo partido e pelo Presidente da República, João Lourenço, no combate à corrupção, à impunidade, nepotismo e outros vícios que ainda persistem na sociedade.
Luzia Inglês informou que as mulheres vão continuar a trabalhar em programas de promoção dos valores éticos, cívicos, culturais, morais e patrióticos, no combate ao analfabetismo, na defesa dos direitos da mulher e da família.
O acto, que decorreu no Pavilhão Gimnodesportivo, foi marcado por desfile das mulheres guerrilheiras do Moxico, que fizeram uma demonstração com armas de madeira, simbolizando o conflito na era colonial.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política