Política

MPLA pede voto dos angolanos na diáspora

Pedro Teta, membro do Bureau Político do MPLA, teve, esta segunda-feira, em Bruxelas, um encontro com a comunidade angolana residente na Bélgica, a quem pediu o voto no dia 24 deste mês, para que o partido e o Presidente João Lourenço continuem com o seu projecto de governação.

16/08/2022  Última atualização 08H35
© Fotografia por: DR

De acordo com uma fonte do Jornal de Angola, Teta teve um encontro com centenas de angolanos radicados na Bélgica, entre os quais membros do Comité do MPLA em Bruxelas. Sublinhou que Angola precisa de todos os seus filhos, independentemente da filiação partidária, para o desenvolvimento socioeconómico do país.

Considerou que os angolanos que, por alguma razão, estão na diáspora são tão importantes e têm os mesmos direitos e oportunidades como os que vivem em Angola. O também professor universitário disse ser por isso que o partido alterou a Constituição, o que permitiu que, pela primeira vez na história da democracia angolana, os cidadãos na diáspora participem nas eleições.

Reconheceu, entretanto, que se trata de uma experiência nova e que os próximos pleitos serão melhores e abrangentes a toda a diáspora. 

Segundo Pedro Teta, os conhecimentos adquiridos em termos de capacidades técnico-científicas pelos angolanos na diáspora são importantes para o desenvolvimento socioeconómico do país. "O MPLA conta com toda a comunidade na diáspora, pois são filhos de Angola e o país tem os braços abertos para recebê-los", referiu.

Disse ser preciso dar outra oportunidade ao MPLA, liderado por João Lourenço e que praticamente apenas governou dois dos cinco anos do mandato que termina, pois, pelo caminho, encontrou muitos obstáculos, como a própria conjuntura internacional, marcada pela crise económica e depois pelo surgimento da pandemia da Covid-19.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política