Política

MPLA mobiliza eleitores no Cunene e incentiva a prática da agricultura

A vice-presidente do MPLA incentivou, em Ondjiva, Cunene, a população residente ao longo do projecto do Cafu, de transferência de água do rio Cunene para as localidades de Ombala yo Mungo e Ndombodola, no município de Ombadja e de Namacunde, a apostarem na agricultura familiar, por forma a reduzir a carência alimentar.

04/08/2022  Última atualização 11H33
Luísa Damião referiu que os projectos realizados pelo Executivo, nos últimos cinco anos, são notáveis em vários domínios © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro
Luísa Damião lançou o desafio durante o acto político de massas, no município do Cuanhama, que foi antecedido de uma passeata de centenas de militantes. Na ocasião, referiu que a moldura humana demonstra a força que caracteriza o povo do Cunene, a crença e a plena convicção numa vitória expressiva do MPLA nas eleições de 24 de Agosto.

A vice-presidente do partido dos camaradas disse que recebeu informação sobre a criação de cooperativas, que estão organizadas ao longo das margens do canal do Cafu, as quais já produzem hortaliças.

"Estamos satisfeitos com o projecto de transferência de água para várias localidades da província do Cunene. O Cunene sempre alcançou cinco zero, por isso o partido vai continuar a trabalhar nas estruturas de base da organização, na certeza que a província vai, mais uma vez, dar a vitória ao MPLA”, disse.

Luísa Damião pediu aos militantes, amigos e simpatizantes do partido a votarem no MPLA e no seu candidato, para continuar a desenvolver o país. Assim, cada militante deve mobilizar oito cidadãos para votar a favor do partido.

"Faltam 22 dias para a realização das Eleições Gerais e é o momento de trabalhar para alcançar os objectivos preconizados e os militantes no Cunene têm a responsabilidade de mobilizar a população a votar a favor do MPLA e do seu candidato João Lourenço”, sublinhou.

A vice-presidente disse que o MPLA reafirma o compromisso na resolução dos anseios e aspirações do povo angolano inspirados na máxima de Agostinho Neto de que "o mais importante é resolver os problemas do povo”.

"Precisamos acelerar o trabalho de mobilização e de educação aos eleitores para o voto certo e mostrar no boletim o nosso posicionamento para facilitar o eleitor a depositar o voto no número 8”, afirmou Luísa Damião. Referiu que os projectos realizados pelo Executivo, nos últimos cinco anos, são notáveis em vários domínios, desde a edificação de infra-estruturas escolares, unidades de saúde, estradas, investimentos na agricultura familiar. "A exploração agrícola ao longo do canal do Cafu é prova disso”, reafirmou.

Luísa Damião disse que o partido tem um candidato com fortes convicções e de elevado espírito de entrega à causa do povo angolano, que o sujeita a uma liderança firme virada para a construção de uma Angola de paz, democrática e inclusiva. Acrescentou que o crescimento económico, com todas as forças da Nação, consta entre as prioridades do candidato do MPLA.

O programa de Governo 2022-2027 propõe-se continuar a consolidar o Estado Democrático e de Direito, prosseguir as reformas, combater a corrupção e a impunidade. Sublinhou que a promoção do desenvolvimento equilibrado e harmonioso do território, a descentralização e a desconcentração da Administração Pública, municipalização e a implementação das autarquias locais são, igualmente, uma aposta do MPLA.

De acordo com Luísa Damião, o programa prevê, ainda, reduzir as desigualdades sociais, erradicando a fome e a pobreza extrema, promovendo a igualdade de género.

Concluiu que se pretende solucionar os desafios multidimensionais, elevar a qualidade de vida das populações, modernizar e tornar mais eficientes as infra-estruturas e preservar o ambiente, assegurando a diversificação económica sustentável e liderada pelo sector privado.


Quinito Kanhameni e Elautério Silipuleni | Ondjiva

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política