Política

MPLA leva bens alimentares às vítimas da seca no Cunene

Um donativo composto por bens alimentares diversos foi entregue, ontem, na cidade de Ondjiva, Cunene, pelo MPLA, ao governo local, para minimizar as dificuldades da população afectada pela seca que assola a região Sul do país.

26/06/2019  Última atualização 09H34
José Cachiva | Angop © Fotografia por: Vice-presidente do MPLA apelou às estruturas do partido a mobilizarem meios para o Cunene

A doação, composta por 100 sacos de arroz e igual número de fuba, açúcar, feijão e de caixas de massa alimentar, conservas diversas, manteiga, leite em pó, óleo alimentar, água mineral, dentre outros bens alimentares e não alimentares, foi entregue pela vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, ao governador Vigílio Tyova.
A vice-presidente do MPLA disse que os bens são um gesto de solidariedade da direcção central do partido para com as vítimas da seca na província do Cunene.
O partido, acrescentou, considera que “este é o momento de acção e gestos solidários em que toda a sociedade se deve mobilizar para ajudar a população afectada pela calamidade da seca nesta região”.
“Queremos aproveitar esta ocasião para lançar um vibrante apelo a toda sociedade civil, em especial às estruturas do nosso partido em todo o país, para mobilizarem meios e ajudarem os nossos irmãos da província do Cunene, que tanto sofrem em consequência da seca”, referiu a vice-presidente.
A dirigente do MPLA apelou à sociedade a partilhar o pouco que tem com a população que está a sofrer com a seca, trazendo para a região pequenas ajudas que vão contribuir para o banco alimentar que se pretende estabelecer.
Luísa Damião referiu que a presença da direcção central do MPLA no Cunene é uma prova de que o partido está solidário com o povo afectado. “Sabemos que estão a viver um momento extremamente difícil e o MPLA veio juntar-se a esta onda de solidariedade que está a ser levada a cabo um pouco por todo o país para ajudarmos a população desta região”, sublinhou.

Mais apoios
O governador do Cunene, Vigílio Tyova, manifestou satisfação com a oferta e afirmou que os bens vão ajudar a população vítima da seca na província, tendo assinalado que muitos mais apoios são necessários para minimizar as necessidades, que vão desde a falta de víveres à água para consumo.
Segundo Vigílio Tyova, o número de pessoas vulneráveis à fome tende a aumentar no Cunene, obrigando as autoridades da província a procurarem alternativas, com o apoio de todas as franjas da sociedade.
A seca que assola a província afectou mais de 880.000 pessoas em todos os municípios. O governo do Cunene definiu a necessidade de 400 mil toneladas de bens diversos para acudir as populações para um período de 12 meses.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política