Política

MPLA garante forte aposta na luta contra a corrupção

António Cristóvão

Jornalista

O primeiro-secretário do MPLA, em Luanda, afirmou sábado, na capital do país, que o combate à corrupção, a integridade e a ética no Serviço Público é um compromisso de todos os quadros e militantes do partido.

17/06/2024  Última atualização 09H11
Primeiro secretário do MPLA, em Luanda, apelou para o sentido de compromisso individual na estrutura interna do partido © Fotografia por: Armando Costa | Edições Novembro

Ao proferir o discurso de encerramento do seminário sobre a "Ética e Integridade no Serviço Público”, no Complexo do Futungo II, município de Talatona, Manuel Homem disse que o MPLA, a nível da província de Luanda, tem o grande desafio de melhorar a sua actuação, enquanto partido que sustenta o Governo.

O também membro do Bureau Político destacou o sentido de compromisso individual na estrutura interna e como militante do MPLA, reconhecendo tratar-se de um tema profundo que deve ser abordado diariamente com grande discernimento.

Os quadros do partido sem ética e integridade, alertou o primeiro-secretário, entendem que podem interferir na Administração e Serviço Público, com propostas que lesam o comprometimento do MPLA.

A ética e a integridade, prosseguiu, não devem ser apenas a retórica dos discursos políticos e dos quadros dirigentes aos mais distintos níveis do Governo ou do partido. "O quadro do Governo que não cumprir a sua missão vai manchar a imagem e o bom-nome do MPLA”, sublinhou.

O seminário sobre "Ética e Integridade no Serviço Público” foi repartido em dois painéis, sendo o primeiro subordinado ao tema "Fundamentos da ética e da integridade como factores de geração de valores comportamentais”, sob moderação de Africano Pedro, seguidos de outros temas como a "Importância da integridade e do comportamento ético no desempenho de funções públicas" e a "Ética e a integridade na formação e execução dos contratos públicos: actos de inconformidade".

Estes assuntos foram apresentados pelos prelectores António Muhongo e Osvaldo Ngoloimwe.

O segundo painel sobre os "Principais instrumentos reguladores e de controlo, relativos à ética e à integridade, em Angola”, a "Ética nas instituições de atendimento directo ao público orientado à geração de valor" e a "Ética na gestão pública: uma abordagem global da legislação angolana", ambas foram abordadas por representantes do Ministério da Justiça e da Unidade de Informação Financeira (UIF).

Já o terceiro painel, sobre a "Promoção da Ética e da integridade no serviço público, foi moderado por Fernando João, cujos temas foram "Promoção da ética e da integridade no serviço público" e o "Contributo de acções inspectivas como guardião das boas práticas de gestão", apresentados por Ângelo Kalange (do Ministério do Planeamento) e uma representante da Inspecção Geral Administração do Estado (IGAE).

 Visita ao município de Viana

Depois das palavras de circunstância na abertura do seminário sobre ética e Integridade no Serviço Público, o primeiro-secretário provincial do MPLA em Luanda, Manuel Homem, deslocou-se, no mesmo dia, ao município de Viana para uma visita de inspecção e constatação, no quadro do processo das assembleias de balanço e renovação de mandatos dos Comités de Acção do Partido (CAP) na capital do país.

Registados avanços no sector da Saúde em Chongoroi

A secretária do Bureau Político para a Política Social do MPLA, Maricel Capama, sublinhou, ontem, que o município do Chongoroi (150 quilómetros a sul da cidade de Benguela), pode servir de referência em matéria de cuidados de saúde.

Maricel Capama, que constatou naquele município os projectos implementados no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e de Investimentos Públicos e outros de âmbito central e locais, disse que foi positivo verificar a forma como a rede primária de saúde funciona no município do Chongoroi.

"O que me vem à alma depois desta visita é o sentimento de bastante alegria e satisfação, porque pelo que verificamos o município do Chongoroi pode servir de referência em termos de saúde, pois a rede primária aqui funciona e nós conseguimos constatar isso”, enalteceu.

Justificou o sentimento de satisfação por ter constatado que, além da funcionalidade dos serviços de saúde pública, os parceiros sociais também têm estado a fazer bem o seu trabalho.

Mediante a dinâmica dos trabalhos, disse, no banco de urgência do Hospital Municipal local, não há um fluxo grande de pacientes. A maior parte dos pacientes que vem para esse hospital municipal vem transferido da rede primária, referiu.

Maricel Capama mostrou-se satisfeita por verificar o funcionamento dos postos de saúde e dos testes médicos realizados a nível da periferia. Destacou também o trabalho de saúde pública desenvolvido pelos Agentes de Desenvolvimento Comunitário (ADECOS) junto das comunidades.

Depois de entregar elevadas quantidades de medicamentos, a secretária do Bureau Político para a Política Social do MPLA disse que todas essas medidas contribuem para a redução do fluxo de doentes que afluem ao hospital municipal.

"Não queremos continuar a ter os nossos hospitais cheios de doentes. Isso implica muitos custos aos cofres do Estado. Se a rede primária funcionar, como está a funcionar no município do Chongoroi, vai permitir ao Executivo reduzir nos gastos”, ressaltou.


Arão Martins | Benguela

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política