Política

MPLA defende actividade parlamentar comprometida com a pátria

Matias da Costa | Cuito

Jornalista

A actividade parlamentar deve ser guiada, permanentemente, pelo alto sentido de compromisso com a pátria, defesa intransigente dos superiores interesses do povo angolano, nos termos e modalidades defendidas pelo MPLA, defendeu ontem, na cidade do Cuito, província do Bié, a vice-presidente do partido dos “camaradas”, Luísa Damião.

25/06/2024  Última atualização 10H50
Segunda figura do partido dos “camaradas” apelou ao debate político mais plural e democrático © Fotografia por: Edições Novembro

Ao discursar na sessão solene de abertura das II Jornadas Parlamentares daquele partido, em representação do presidente João Lourenço, que decorrem até sexta-feira, a segunda figura do MPLA reiterou, ainda, a realização do Congresso Extraordinário do partido para Dezembro deste ano.

A vice-presidente do MPLA lembrou aos deputados que o Grupo Parlamentar é o organismo a quem o Partido incumbe a defesa da sua linha política e a estratégia geral ao nível do Parlamento e não só, o que requer o respeito pela hierarquia, o diálogo vertical, mas sobretudo fraterno e horizontal, que privilegie a unidade de pensamento e de acção.

As jornadas parlamentares, disse, representam um momento sublime, na medida em que agrega um conjunto de actividades que concorrem para o fortalecimento da vida interna do Partido e o reforço da sua inserção nas comunidades e na sociedade angolana em geral.

Luísa Damião referiu que nas jornadas são geradas dinâmicas conducentes ao contínuo aprimoramento das tarefas desenvolvidas pelos deputados, quer em relação ao sentido de orientação partidária, visão estratégica do líder, quer em relação às estratégias de interacção com a sociedade.

O evento tem como prelectores o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, o secretário do Bureau Político para os Assuntos Políticos e Eleitorais, João de Almeida Azevedo "Jú Martins”, e os membros do BP, Carlos Feijó, Manuel Nunes Júnior.

Estiveram presentes, na sessão de abertura, o primeiro secretário provincial, Pereira Alfredo, o presidente do Grupo Parlamentar, Joaquim Reis Júnior, membros do Secretariado do Bureau Político, o ministro da Administração do Território, Dionísio da Fonseca, o segundo secretário provincial, Milton Capama, assim como os membros da Comissão Executiva do Comité Provincial.

A dirigente partidária pediu aos membros do Grupo Parlamentar do partido alto sentido de responsabilidade, compromisso com a pátria, e, acima de tudo, que continuem a defender intransigentemente os interesses superiores do povo que representam na Casa das Leis.

Por isso, assegurou, a confiança depositada pelo povo, desde sempre, ao MPLA, permite ao partido continuar a cumprir com a divisa de "servir o povo e fazer Angola crescer”.

Congresso Extraordinário

Segundo Luísa Damião, a realização da reunião de cúpula do MPLA para o fim do ano, servirá para avaliar, com profundidade, as realizações futuras do partido, tendo em atenção aos desafios que se apresentam para a formação partidária até 2027.

"Os organismos competentes do partido estão orientados para convocar um Congresso Extraordinário para o fim do ano, que vai avaliar com profundidade o futuro do MPLA”, esclareceu Luísa Damião.

A vice-presidente do MPLA disse, ainda, durante a actividade que reúne na capital do Bié os 124 deputados que compõem a bancada parlamentar daquele partido, que a organização política continua forte e empenhada na resolução permanente dos problemas do povo, que confiou o destino do país a um partido "responsável e coeso como é o MPLA”.

Luísa Damião lembrou que os deputados estão em representação do povo que os elege, e, em face disso, devem ter sempre esse desiderato em mente, devendo a estes ser incumbida a defesa da linha política e da estratégia geral dos representados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política