Política

MPLA capacita quadros em busca da vitória em Agosto

Weza Pascoal | Menongue

Jornalista

O MPLA começou esta segunda-feira, em Menongue, a capacitar os seus quadros com conhecimentos sobre Marketing Político, visando a vitória nas eleições gerais de 24 de Agosto. Para isso, o primeiro secretário provincial do Cuando Cubango afirmou, que o partido está revestido de legitimidade política, constitucional e em melhores condições em termos de competências para continuar a governar o país nos próximos cinco anos.

21/06/2022  Última atualização 07H55
José Martins na abertura do seminário sobre Marketing Político e Eleitoral © Fotografia por: Nicolau Vasco | Edições Novembro | Menongue

José Martins, que falava na abertura do seminário sobre Marketing Político e Eleitoral, dirigido a mais de 50 membros do Secretariado da Comissão Executiva, secretários e secretárias municipais do MPLA, OMA, JMPLA e deputados do círculo provincial do partido, entre outros quadros, disse que a acção visa reforçar a coesão política.

Sublinhou que MPLA, sendo o partido mais organizado, é o único capaz de liderar o povo angolano, pois trabalha com verdade para a concretização das aspirações das populações, referindo que os quadros, militantes, simpatizantes e amigos do MPLA no Cuando Cubango continuam unidos, coesos e determinados, rumo à vitória nas próximas eleições.

Segundo o político, é preciso que haja um alinhamento ideológico para que todos possam agir no mesmo sentido. Disse que, por este motivo, mais de 50 membros do Secretariado da Comissão Executiva do Comité Provincial do MPLA no Cuando Cubango, primeiros secretários municipais do partido, da OMA, da JMPLA, deputados do círculo provincial da Assembleia Nacional e quadros dos Comités Municipais participam no seminário, para melhorar a actuação do partido.

"O fortalecimento do partido permite a continuação da liderança do MPLA e do seu candidato João Lourenço nos destinos do país e da construção de uma Angola mais desenvolvida, democrática e inclusiva, sendo que a força do glorioso MPLA sempre residiu no povo, este mesmo povo que vai votar a 24 de Agosto do ano em curso”, frisou.

José Martins disse que, com este seminário, o partido está com a máquina afinada para entrar na disputa política de forma organizada, visando melhorar a actuação do partido na área da Comunicação, aumentando o nível de acção, unindo os militantes e as suas organizações sociais.


Mais províncias capacitam formadores de agentes


As províncias do Cunene, Cuanza-Sul, Cuando Cubango, Benguela, Moxico e Cuanza-Norte também iniciaram, esta segunda-feira , as acções de formação de formadores de agentes eleitorais, visando o pleito de 24 de Agosto próximo.

No Cunene, a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) começou, em Ondjiva, a formação dos formadores provinciais para os agentes de Educação Cívica Eleitoral. Durante três dias, aos formandos serão transmitidas matérias sobre órgãos da Administração Eleitoral, campanha de Educação Cívica Eleitoral, agentes de Educação Cívica Eleitoral, fases da campanha, definição dos objectivos e estratégias.

Os formadores provinciais vão, igualmente, abordar a  constituição e funcionamento das assembleias e mesas de voto no país e no exterior, a composição, horário de funcionamento, processo de votação, votação, contagem e apuramento e sobre fiscalização e observação eleitoral.

O presidente em exercício da Comissão Provincial Eleitoral, no Cunene, Francisco Afonso Ulombe, ao falar na abertura da acção formativa, disse que este processo é um acto preparatório para o arranque das actividades formativas da CNE e dos órgãos locais, no sentido de munir de ferramentas uniformes sobre o domínio dos conteúdos do Pacote Legislativo Eleitoral, bem como do manual, transmitindo métodos de interpretação enquanto instrumento de trabalho e mobilização dos eleitores para o exercício do direito do voto a 24 de Agosto.

 

Cuanza-Sul

Trinta formadores provinciais vão assegurar a formação dos agentes de Educação Cívica Eleitoral, no Cuanza-Sul, compostos por membros da Comissão Provincial e Municipal. Participarão até quinta-feira nesta iniciativa de capacitação sobre diversas fases do processo eleitoral.

Promovida pela Comissão Provincial Eleitoral no Cuanza-Sul, a acção formativa está a ser orientada por quatro formadores nacionais que vão, após a formação, criar uma equipa com conhecimentos básicos para capacitar os agentes de Educação Cívica Eleitoral nas comunidades.

Na abertura, a presidente da Comissão Provincial Eleitoral no Cuanza-Sul, Maria Cristina Ndembi, pediu aos formandos maior desempenho e engajamento na assimilação dos conhecimentos, para que em breve possam estar em condições de transmitir aos agentes de Educação Cívica Eleitoral todo o conhecimento adquirido.

"Consideramos que, com esta acção formativa, os formadores saem com conhecimentos sólidos de informações mais simples que visam elucidar os eleitores sobre todos os actos que fazem parte das eleições gerais”, disse.

 

Cuando Cubango

A Comissão Provincial Eleitoral (CPE) no Cuando Cubango capacita desde ontem, na cidade de Menongue, 22 formadores provinciais para os agentes de Educação Cívica Eleitoral.

O seminário vai até amanhã e tem como objectivo preparar os quadros que dirigirão a formação dos núcleos provinciais de formadores que, por sua vez, irão treinar os agentes de Educação Cívica Eleitoral para mobilizar e informar os eleitores sobre as eleições gerais de 24 de Agosto, localização das assembleias de voto e o exercício livre e consciente do sufrágio.

Os participantes serão dotados de matérias sobre a campanha de Educação Cívica Eleitoral, agentes de Educação Cívica Eleitoral, bem como as fases da campanha eleitoral, constituição e funcionamento das assembleias de voto, fiscalização e observação eleitoral, ordem de votação, votação, contagem e apuramento dos votos.

Na abertura do seminário, o presidente da CPE, Felisberto Sérgio Canhanga, disse que a nível do Cuando Cubango serão realizadas capacitações de formadores nacionais, provinciais e de agentes de Educação Cívica Eleitoral em forma de cascata e todo o ciclo formativo será ministrado pelos formadores nacionais da CNE.

Explicou que a formação de agentes de Educação Cívica Eleitoral será a última fase do ciclo, ao que se seguirá a distribuição dos mesmos nos nove municípios da província, devido à densidade da população eleitoral, sob coordenação e supervisão dos órgãos locais da Comissão Nacional Eleitoral (CNE).

 

Benguela

Pelo menos, 22 formadores provinciais para formação de agentes de Educação Cívica Eleitoral começaram ontem um seminário de capacitação, em Benguela.

Em dois dias, serão debatidos vários temas, entre os quais a conduta do agente da Educação Cívica Eleitoral, a postura dos membros da Comissão Nacional Eleitoral e dos partidos políticos, face ao período eleitoral, a importância da Educação Cívica Eleitoral nas comunidades, o código de conduta eleitoral, o papel dos observadores, da mídia e dos órgãos de Defesa e Segurança.

A actividade decorre ao abrigo da Lei Orgânica e Funcionamento da CNE, no âmbito da materialização das tarefas constantes do plano anual das actividades do órgão, que organiza, supervisiona e superintende todas as tarefas inerentes ao processo eleitoral.

Para Martins Domingos, secretário provincial da CASA-CE em Benguela, esta acção é um indicador do andamento normal do processo das eleições que importa a todos os angolanos e anima a participação dos partidos e coligações no pleito.

Por sua vez, o membro do Comité do MPLA Eurico Bongue referiu que as acções deste género são bastante significativas, porque alicerçam os meandros da estabilidade democrática, que se tem vindo a construir no país, em conformidade com a Constituição da República.

Silvano Cilivela, secretário municipal da UNITA, afirmou que este passo responde aos anseios dos eleitores e partidos políticos, pois tudo o que se pretende é fazer com que o processo das eleições esteja, devidamente, organizado para que a participação dos cidadãos seja correspondida.

 

Moxico

Um total de 20 cidadãos estão a ser capacitados desde ontem, no Luena, para servirem como formadores dos agentes de Educação Cívica Eleitoral na província do Moxico. Em três dias, o seminário, promovido pela Comissão Provincial Eleitoral, visa proporcionar aos formandos conteúdos sobre o manual de agentes de Educação Cívica Eleitoral.

O  presidente em exercício da Comissão Provincial Eleitoral no Moxico, Agrione Manuel, disse, na abertura, que a acção   formativa vai permitir o desenvolvimento de   ciclos  de formação nos nove  municípios.

 

Cuanza-Norte

Os agentes provinciais eleitorais devem adoptar um perfil bem definido e dominadores dos conteúdos programáticos das diferentes fases da campanha de Educação Cívica Eleitoral, afirmou, ontem, em Ndalatando, o presidente da Comissão Provincial Eleitoral no Cuanza-Norte, Gabriel Domingos Gaspar.

Falando na abertura de um curso de formação de formadores provinciais para agentes de Educação Cívica Eleitoral, nos próximos dois dias, disse que a meta é a promoção de um processo eleitoral livre, justo e transparente, para que as eleições não se tornem somente um dever, mas um exercício contínuo de responsabilidade individual e colectiva.

A acção tem como objectivos de adoptar e promover os agentes de Educação Cívica Eleitoral sobre os conteúdos constantes no Manual de Agentes de Educação Cívica Eleitoral, definir o programa da formação para as eleições gerais de 2022, transmitir métodos uniformes de interpretação do manual, como instrumento de trabalho e de mobilização dos eleitores.

Consta também o trabalho de mobilizar e sensibilizar os cidadãos, no país e no exterior, a participarem de forma activa e consciente nas eleições gerais de 24 de Agosto deste ano. O seminário reserva ainda temas como a Campanha de Educação Cívica Eleitoral, Agentes de Educação Cívica Eleitoral, Fases da Campanha, Constituição e Funcionamento das Assembleias de Voto, Fiscalização e Observação Eleitoral, Ordem da Votação, Contagem e Apuramento e Metodologia.

Gabriel Domingos Gaspar realçou que os agentes de Educação Cívica Eleitoral têm a difícil tarefa de trabalhar nas vilas, aldeias e comunas, a transmitir mensagens para que cada cidadão eleitor possa se dirigir à assembleia de voto e exercer o seu direito de eleger os mais altos mandatários da nação.

Explicou que um programa de Educação Cívica Eleitoral, bem concebido, permite fortalecer os valores inerentes ao diálogo, à negociação, à tolerância, à diversidade democrática, ao entendimento das premissas do Estado Democrático e no final promove a cultura de uma cidadania plena.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política