Política

MPLA abre candidaturas para liderança do partido

O processo de apresentação de candidaturas aos cargos de presidente, vice-presidente, secretário-geral e primeiros-secretários provinciais do MPLA inicia esta quarta-feira (20).

20/10/2021  Última atualização 09H53
Joaquim Migueis © Fotografia por: Rafael Tati | Edições Novembro
A informação foi prestada, ontem, em conferência de imprensa, por Joaquim Mi-gueis, da subcomissão de Mandatos da Comissão Preparatória do VIII Congresso Ordinário do MPLA, a realizar-se de 9 a 11 de Dezembro deste ano, em Luanda.

Apoiado nos Estatutos e regulamento do partido, disse que os candidatos a presidente do MPLA devem ter não menos que 15 anos de militância e apresentar até duas mil assinaturas, sendo que, destas, deverão constar, no mínimo, 100 de cada uma das 18 províncias, bem como uma Moção de Estratégia que contenha as ideias e propostas essenciais do pretendente, assim como as vias de aplicação do programa.

Joaquim Migueis informou que serão aceites as candidaturas a presidente entregues 15 dias após a convocação do Congresso e 45 dias antes da sua realização.

Neste sentido, frisou, a campanha eleitoral decorrerá de 23 de Novembro a 7 de Dezembro.
Em relação aos candidatos a vice-presidente, secretário-geral, primeiros secretários e presidente da Comissão de Auditoria e Disciplina, disse que são obrigados a ter, no mínimo, 10 anos de militância e a juntar até mil assinaturas.
As candidaturas podem ser remetidas à Comissão de Mandatos até 5 de Novembro e a notificação da sua validade até ao dia 8 do mesmo mês.

Os primeiros secretários provinciais, cuja eleição deve ocorrer em conferências marcadas para 5 e 6 de Novembro, devem ter no mínimo 10 anos de militância e reunir 50 assinaturas em cada um dos municípios da província para a qual concorre e programa com acções a implementar durante o mandato.

A apresentação da candidatura pode ser de iniciativa do militante, de grupo de militantes, da direcção do órgão ou organismo cessante, bem como de delegados ao congresso.
A campanha eleitoral só deve ocorrer no seio das estruturas partidárias e das suas organizações sociais, esgrimindo argumentos para a promoção da candidatura.


Joaquim Migueis informou que são elegíveis os cidadãos angolanos em pleno gozo dos seus direitos civis e políticos, ser fiel e intransigente defensor dos ideais políticos do MPLA, patriota exemplar, activo, consequente, íntegro, honesto e dedicado às tarefas do partido, da Nação e do povo angolano, a par de boa capacidade organizativa, liderança e conduta moral e cívica aceitável.

  António Venâncio anuncia intenção de concorrer

O arquitecto  António Venâncio, de 66 anos de idade, 48 dos quais dedicados  ao MPLA, anunciou, ontem, em Luanda, a intenção de concorrer à liderança do partido, no quadro do VIII Congresso Ordinário, previsto para Dezembro.
Em declarações à imprensa, António Venâncio disse que o objectivo é usufruir de um direito previsto nos Estatutos do partido.


António Venâncio disse apoiar-se no artigo 27º do Estatuto do partido, alíneas k) que orienta, que "o militante pode candidatar-se a qualquer função e cargo no MPLA, devendo apresentar, na organização de base ou organismo que pertença, a sua pretensão de candidatura".

Explicou que a intenção foi apresentada ao CAP 90, no Distrito do Rangel, no dia 12 de Outubro, e  o processo prossegue o curso normal até à validação da candidatura.

André Sibi

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política