Economia

Movimentação de carga cresce 10 por cento

Hélder Jeremias

Jornalista

O Porto de Luanda movimentou, de Janeiro a Setembro do ano em curso, 10 208 621,32 toneladas de carga, perfazendo um aumento de 10 por cento em relação ao período homólogo de 2020, em que se registou uma produção geral de 952 157,12 toneladas.

17/10/2021  Última atualização 08H47
Líder do Porto de Luanda na apresentação da logomarca © Fotografia por: João Gomes | Edições Novembro
Os dados foram divulgados sexta-feira, em Luanda, pelo  Conselho de Administração, durante o lançamento da nova logomarca da compamhia, dando conta que, até Setembro último, o número de navios que atracou no Porto de Luanda foi de 2 697, dos quais 411 de longo cursos e 2 286 embarcações de apoio à actividade petrolífera.

As estatísticas demonstram uma frequência de chegada  de 1,5 navios por dia, o que representa  um crescimento  de 6,0 por cento em comparação com período igual do ano transacto, em que a carga geral contentorizada alcançou 4 392 467,24 toneladas, representando um aumento de 498 561,06 (mais 13 por cento).

A carga geral fraccionada movimentada no período em referência (até Setembro de 2021) foi de 948 260,70 toneladas, um aumento de 558 120,25, significando um crescimento de 143 por cento em comparação com 2020.

A movimentação de granéis líquidos foi de 4 387 615,22 toneladas, quando, no período homólogo, cifrou-se em 4 405 204,41 toneladas. Os granéis sólidos tiveram um crescimento na ordem de 46 por cento.

O presidente do Conselho de Administração do Porto de Luanda, Alberto Bengue, considerou "encorajadores”os resultados  para a implementação do novo Plano Director, pois permitem concluir que, apesar das  limitações impostas pela pandemia da Covid-19, a companhia continua a ter um papel fundamental na economia nacional.

Alberto Bengue referiu, também, o lançamento da nova logomarca do Porto de Luanda, cuja concepção "tem como finalidade a melhor divulgação e o fortalecimento da identidade do Porto, uma vez que a marca anterior continha elementos gráficos que remetiam para a ideia de um porto obsoleto”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia