Cultura

Morreu Pablo Milanés

O Presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, lamentou a morte do cantor e compositor Pablo Milanés, aos 79 anos, ocorrida nas primeiras horas da manhã, de terça-feira (22), em Madrid, Espanha.

23/11/2022  Última atualização 06H10
Cantor e compositor cubano © Fotografia por: DR
De visita oficial à Rússia, o Presidente Miguel Díaz-Canel enviou condolências, através da sua conta no Twitter, à viúva e filhos do artista e a Cuba. "Um de nossos maiores músicos faleceu fisicamente. A voz inseparável da trilha sonora de nossa geração”, disse o Chefe de Estado na rede social.

Por sua vez, o Primeiro-Ministro, Manuel Marrero, disse que a cultura da ilha está de luto pela partida do renomado cantor e compositor, um dos fundadores do movimento Nueva Trova no país.

Considerado um dos expoentes essenciais dos cantores e compositores espanhóis, Milanés compilou um corpo significativo de trabalho para os cubanos na ilha e em outras fronteiras latino-americanas com um repertório de mais de 400 peças.

O músico, nascido na cidade oriental de Bayamo, a 24 de Fevereiro de 1943, forjou a sua carreira profissional com grande versatilidade interpretativa, da qual alimentou o Grupo de Experimentación Sonora, juntamente com outras vozes emblemáticas da ilha.

Vencedor de dois Grammy Latinos (2006) e uma estatueta para Excelência Musical (2015), Pablo Milanés combinou uma mistura de géneros e sonoridades no continente, que oscilou entre tradição e modernidade, enquanto a sua discografia englobava filin, jazz, rumba e bolero, im-plantada em 50 álbuns.

Homenagem de Espanha

O Presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, inúmeras personalidades da música e a imprensa principal juntaram-se, ontem, à homenagem a Pablo Milanés.

Embora a morte do extraordinário cantor e compositor cubano, num hospital de Madrid, tenha ocorrido nas primeiras horas da manhã, de ontem,  mensagens de homenagem e condolências ao autor de "Yolanda” e "Yo no te pido” foram publicadas sucessivamente.

 "Pisaremos as ruas novamente e lamentaremos os ausentes em seu nome. A música de Pablo Milanés estará sempre connosco. Ele deu voz à vida e aos sentimentos de toda uma geração”, disse Pedro Sánchez, na sua conta no Twitter. "Eternamente em nossa memória”, acrescentou o Chefe do Governo espanhol.

 Yolanda Díaz, segunda Vice-Presidente do Governo espanhol e ministra do Trabalho, também expressou seus sentimentos no Twitter. "Pablo Milanés compôs, versículo por versículo, o canto de nossas vidas. Trovador de beleza, memória de todos os amores. Sua voz diáfana e livre nos legou uma poética e uma ética do essencial e do pequeno. Hoje, Pablo, você voa de sua amada ilha para nossos corações para sempre”, comentou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura