Cultura

Morreu o músico Teta Lágrimas

Mário Cohen

Jornalista

O músico e compositor Teta Lágrimas faleceu, nesta-terça, em Luanda, de morte súbita, na sua residência “Quinta Teta”, no Patriota, município de Belas, confirmou ao Jornal de Angola, a sobrinha Fineza Teta.

24/11/2020  Última atualização 16H10
A sobrinha, que é artista plástica, deu a conhecer que o músico não estava doente, não se queixou de nada, acrescentando que o autor de "Amizade Colorida” dormiu e já não acordou. De acordo com Fineza Teta, a causa da morte de Teta Lágrimas está para se apurar."Neste momento, estamos à espera do resultado da autópsia para sabermos a verdadeira causa da sua morte”, disse . A artista plástica revelou que Teta Lágrimas estava a trabalhar na produção do seu novo CD. Para o presidente da comissão directiva da União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC-SA), Zeca Moreno, a morte de Tela Lágrimas é uma perda inesperada muito grande para a classe artística.

Em nome da UNAC-SA e dos seus associado, Zeca Moreno endereçou à família enlutada os sentimentos de pesar. Acrescentou que nos últimos anos a UNAC-SA tem sido assombrada com notícias tristes, que tem empobrecido a classe artística.  O presidente da comissão directiva da UNAC-SA disse que a morte prematura do autor de "Amizade Colorida” fragiliza a classe artística e a UNAC-SA, pois "há meses, nem tínhamos começado uma jornada laboral, fomos surpreendidos com as tristes notícias sobre a morte de Waldemar Bastos e de Carlos Burity, músicos que muito contribuíram para  o desenvolvimento da cultura nacional”.

Acrescentou que as suas obras jamais serão apagadas da memória dos angolanos por serem cantores de cariz internacional, que através da música levaram a cultura de Angola pelo mundo. O director nacional da Cultura, Euclides da Lomba, em declarações à RNA, lamentou a morte do músico e compositor  Teta Lágrimas, tendo sublinhado que o ano de 2020 tem sido muito duro para a cultura nacional, com a morte de vários artistas emblemáticos.

"Acabamos de tomar conhecimento, por confirmação familiar, de que perdemos o Teta Lágrimas. Precisamente, o ano de 2020 está a ser bastante violento, naquilo que tem a ver com a perda de grandes nomes e figuras da vida cultural e artística. Precisamente pessoas a quem são reconhecidas contribuições éticas e profissionais com criações que fazem parte da memória colectiva de todos nós.

Portanto, viemos em nome do Ministério da Cultura, da Direcção Nacional da Cultura, em nome dos funcionários do pelouro e dos criadores artísticos manifestar os nossos sentimentos de pesar à família de Teta Lágrimas. A cultura nacional ficou mais empobrecida com a perda prematura deste ícone da nossa cultura.”

Considerado como um dos maiores ícones da música popular angolana, de nome próprio Abel Lágrimas da Conceição Santos Teta, mais conhecido nas lides musicais por  Tela  Lágrimas, de 64 anos, nasceu na província do Zaire. Filho de Roberto Teta, cresceu nos bairros Operário e Popular, em Luanda, onde começou a cantar aos 14 anos, incentivado pela família.

É originário de uma família de artistas, o seu avô tocava e cantava fados e a sua mãe era  guitarrista e tocava também acordeão, e o seu irmão Teta Lando, um dos grandes ícones da music hall nacional e os sobrinhos que também apostaram na carreira musical como Guto (ex-Black Company), Manuela Teta e Bibiana Teta (corista).

Em 1974, Teta Lágrimas foi a República Democrático do Congo (RDC), onde trabalhou com a Orquestra Babongo Star e Grande Orquestra Vive Center.  No ano de 1985, emigrou para Portugal, dando continuidade à carreira musical. Na terra de Camões, depois de muito trabalho, lança o primeiro CD,"Amizade Colorida”, seguindo-se as obras "Luanda já Foste Linda”, "Esta preta me Mata” e "Dilema”.

Sete anos depois, em 1992, regressa a Luanda, a convite do MPLA, para participar nos vários espectáculos de campanha para as eleições do partido dos camaradas, realizadas no mesmo ano. Tem no seu repertório várias obras discográficas, com destaque para "Mãe de todos nós”, "Coisa da Vida”, "Dilema”, "Luanda já foste linda”, "Renascente Esperança”, "Genuinamente”, "Letra Chorada”, "Lágrimas do Coração”, "Amizade Colorida” e o DVD "Letra Chorada”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura