Cultura

Morreu o escritor Dario de Melo

O escritor Dario de Melo, considerado o pai da literatura infantil angolana, morreu domingo, na cidade de Benguela, sua terra natal, vítima de doença, aos 85 anos.

07/06/2022  Última atualização 07H50
Morte do pai da literatura infantil angolana deixa inconformadas várias figuras ligadas às letras e à cultura nacional © Fotografia por: DR

Homem das letras, Dario de Melo foi cronista, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco, professor, inspector escolar, radialista, funcionário do Ministério da Informação e gerente agro-pecuário.

Em reacção à morte do escritor, a esposa Elizabete Maria Pereira considerou ser um duro golpe, tendo recordado as crónicas de autoria do marido que eram lidas todas as quartas-feiras no programa "Boa Noite Angola” da Rádio Nacional de Angola (RNA). "Dario deixou escritos que não foram lidos e que vão ficar para recordação apenas”, disse Elizabete Maria Pereira, sublinhando que "ele partiu mas foi muito feliz, pois deixou grandes amizades em Angola e no mundo”. 

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Silvino de Pina Zau, em nota de condolências, refere que foi com profunda dor e consternação que tomou conhecimento do passamento físico do escritor Dario de Melo, ocorrido domingo, na cidade de Benguela, por doença. "Nesta hora de dor e luto, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Silvino de Pina Zau, em nome de todos os seus colaboradores, endereça à família enlutada os sentimentos de pesar”,refere a nota. 

O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) lamentou, ontem, a morte do jornalista, escritor e professor, Dario de Melo, ocorrida domingo, na província de Benguela, vítima de doença.

Em mensagem de condolências, o MINTTICS destaca as várias funções exercidas por Dário de Melo, como de inspector escolar, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco, bem como a de funcionário do Ministério da Informação, de 1992 a 1994.

Neste momento de dor e luto, o ministro Manuel Homem, em seu nome próprio e do colectivo de trabalhadores do MINTTICS, endereça à família enlutada, amigos e colegas os mais sentidos sentimentos de pesar.

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), David Capelenguenha, que confirmou ao Jornal de Angola a morte do confrade, afirmou que Dario de Melo é um dos nomes mais sonantes da literatura infantil angolana, escritor, jornalista e cronista, nome importante da literatura angolana”.

De acordo com o secretário-geral da UEA, Dario de Melo morreu na cidade que o viu nascer, Benguela "foi onde passou os seus últimos anos de vida e é um grande constrangimento para nós, um membro muito activo, uma pessoa dedicada e en-gajada para a actuação da União dos Escritores Angolanos, tendo exercido de 1992 a 1994 a função de presidente da Mesa da Assembleia-Geral”.

O líder da associação cultural mais antiga continua "quanto a mim, particularmente, eu tinha uma grande afeição, uma aproximação com ele, lembro-me que há coisa de duas semanas passou por Luanda mas infelizmente não nos encontramos. Tínhamos contacto permanente, em Outubro do ano passado ligou para mim a pedir a chancela da União dos Escritores Angolanos para publicar o livro infantil  que estava a concluir”.

Na verdade, lamentou David Capelenguenha, estamos na situação muito constrangedora e porque sabemos que cada vez mais a União dos Escritores vai perdendo alguns dos membros, nos últimos três anos perdemos qualquer coisa como cinco membros. É uma tristeza muito grande e neste momento de dor e luto quero manifestar em meu nome e da União endereçar à família enlutada, aos amigos e colegas os meus sentimentos de pesar.

O escritor Gociante Patissa lamentou o infortúnio nos seguintes termos: "calou-se uma reserva moral. Com a partida de Dario de Melo fica cada vez mais pobre todo o processo histórico e intelectual. Dario de Melo desdobrou-se em muitos papéis desde a cultura ao jornalismo entre outros, o seu testemunho fica marcado junto daqueles que sempre souberam lidar com ele”.

Já a escritora para crianças Marta Santos, com a voz trémula, frisou: "Dario de Melo foi o meu mestre e para mim é o Pai da Literatura Infantil e com muita pena não pude despedir-me dele nestes últimos dias que passou por Luanda. É um grande exemplo para nós, infelizmente nos últimos dias foi esquecido, algo que tem acontecido com muitos que fazem cultura, eu penso que as pessoas devem ser homenageadas e reconhecidas em vida”.

A escritora continuou: "Peço que nesta hora façam uma merecida homenagem. Ele será sempre lembrado por mim porque acreditou e editou o meu primeiro livro, hoje sou escritora e devo-lhe. Quando fui homenageada internacionalmente ele manifestou a satisfação, hoje confirmei esta triste notícia, falei com os familiares e espero que Dario de Melo descanse em paz e com luz do Senhor”.

Dario de Melo tem as im-pressões no movimento da literatura e canção infantil ao lado de Cremilda de Lima, Gabriela Antunes, Octavi-ano Correia, Carlos Ferreira "Cassé”, Filipe Zau e outros que nos primeiros anos da independência envolveram-se no projecto da criação do Homem Novo. Na literatura infantil encontramos "Estórias do Leão Velho” (1985), "Vou Contar” (1988), "Aqui, mas do Outro Lado” (2000) e "As Sete Vidas de um Gato” (2002), com o qual obteve o prémio PALOP-1998 de Língua Portuguesa de Literatura Infantil. Em poesia publicou um livro, intitulado "Onda Dormida”.

Dario de Melo nasceu a 2 de Dezembro de 1935 em Benguela, cidade em que morreu a 5 de Junho de 2022. Exerceu várias profissões como a de docente, inspector escolar, editor no Instituto Nacional do Livro e do Disco e funcionário do Ministério da Informação. Enquanto jornalista, trabalhou na rádio, foi director da Voz do Bié, em 1972, da Tveja (Revista de Televisão Pública de Angola), em 1983, do Jornal de Angola e do Correio da Semana (que fundou juntamente com Manuel Dionísio), em 1991, e do Jornal Jango, em 1992. Também publicou diversos artigos na imprensa.

 

Analtino Santos |
Com Sampaio Júnior | Benguela

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura