Economia

Moedas das economias emergentes com ganhos

Os sinais de que a Reserva Federal (Fed, banco central dos Estados Unidos) não tem pressa para aumentar as taxas de juros abrem caminho para a manutenção dos ganhos de moedas de mercados emergentes, de acordo com uma análise publicada, ontem, pela agência especializada em economia Bloomberg.

09/09/2021  Última atualização 07H55
Peso chileno registou ganhos diante do Dólar na semana passada © Fotografia por: DR
De acordo com a fonte, autoridades monetárias reúnem-se na Polónia, Rússia, Peru e Malásia para decidir o rumo da política monetária na expectativa de que os juros nos Estados Unidos permanecem baixos por mais tempo, uma mensagem que o presidente da Fed, Jerome Powell, enfatizou na semana passada.
Isso significa que qualquer sinal de restrição monetária nos mercados emergentes pode conduzir ao reaparecimento de um carry trade, operações de arbitragem de juros, elevando ainda mais os ganhos das moedas das economias emergentes, como foi o caso do Peso chileno, na semana passada.

Embora o carry trade de mercados emergentes tenha resultado em ganhos de apenas 0,5 por cento no primeiro semestre, o índice EM Carry, da Bloomberg, já subiu quase 2,0 por cento desde o final de Julho, e moedas de alto rendimento, mas voláteis, como a Lira da Turquia e o Rand da África do Sul, lideram a escalada. O índice de moedas de mercados emergentes MSCI registou ganhos em nove das últimas 11 sessões.

"As moedas de mercados emergentes podem estar num ponto ideal”, disse Christopher Shiells, analista da Informa Global Markets, em Londres, que aposta no Real, Rublo (da Rússia) e no Peso mexicano, que devem mostrar melhor desempenho nos próximos meses.

Os fracos dados do mercado de trabalho dos EUA na sexta-feira reforçaram as previsões de que a Fed manterá os juros mesmo quando começar a reduzir o estímulo de emergência. Com isso, o custo dos empréstimos em dólares para investir em activos de maior retorno continuaria baixo, estratégia que poderia ser positiva para os investidores, dado que o foco da Fed em estimular a recuperação económica também deve manter o Dólar sob controlo.

James Barrineau, chefe de Dívida de Mercados Emergentes da Schroder Investment, disse que Jerome Powell, pelo menos nesta conjuntura, parece ter conseguido uma redução dos estímulos favorável aos mercados emergentes."A principal coisa que Powell fez foi separar a discussão sobre a redução dos estímulos  da alta dos juros, e indicou que aumentos das taxas provavelmente estão muito distantes. Isso resultou num Dólar mais fraco, o que é um forte factor positivo para mercados emergentes.”

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia