Economia

Moçambique pode comprar petróleo russo em rublos

O ministro dos Recursos Minerais e Energia de Moçambique admitiu, ontem, a possibilidade de o país comprar petróleo russo em rublos, caso essa opção seja viável, depois de Moscovo ter apresentado a Maputo a disponibilidade para esse mecanismo.

05/08/2022  Última atualização 07H30
Ministro dos Recursos Minerais e Energia de Moçambique © Fotografia por: DR

"Estou certo de que vamos estudar e verificar a viabilidade dessa oferta da Rússia. Se houver viabilidade, com certeza que o petróleo russo será adquirido” em rublos, afirmou Carlos Zacarias à imprensa, à margem do sétimo Conselho Coordenador do Ministério dos Recursos Minerais e Energia, na província de Gaza, Sul de Moçambique.

Aquele governante assinalou que a receptividade de Moçambique à proposta russa decorre do facto de o mundo estar a viver um "momento peculiar”, caracterizado por uma grande volatilidade dos preços do crude no mercado internacional, devido à operação militar especial da Rússia na Ucrânia.

Nesse sentido, prosseguiu Carlos Zacarias, a abordagem das autoridades moçambicanas em relação ao preço do petróleo será determinada pelo comportamento do mercado internacional.

O ministro negou antecipar-se em relação a um eventual próximo aumento dos preços dos combustíveis, face a vários incrementos já ocorridos este ano. "Relativamente à mexida nos preços dos combustíveis, tem a ver com factores como a variação no mercado internacional, naturalmente, se essa variação for acima de um nível bem definido, aí poderá haver lugar a uma mexida nos preços dos combustíveis”, declarou.

A proposta de Moscovo foi avançada há uma semana pelo embaixador da Rússia em Moçambique, Alexander Surikov, após um encontro com a Confederação das Associações Económicas (CTA) de Moçambique.

"O Rublo e o Metical são dignas divisas que podem ser usadas e não necessitam da benevolência de alguns outros países que controlam o sistema internacional”, declarou, na altura, o diplomata russo, acrescentando que Moscovo quer reforçar a cooperação com Maputo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia