Mundo

Mnangagwa pede fim das sanções económicas

O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, pediu, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, aos Estados Unidos e àEuropa para levantarem as sanções económicas ao país, apelidando-as de ilegais.

27/09/2019  Última atualização 10H12
DR

 “Desde que tomei posse muito foi alcançado, como os indicadores económicos a recuperarem e com a estabilização do crescimento”, com a melhoria das políticas macroeconómicas e com “austeridade e disciplina fiscal”, afirmou Emmerson Mnangagwa na intervenção proferida no debate geral da 74ª Assembleia-geral da ONU. O Zimbabwe “está em transição e a tentar ultrapassar o colapso económico, com uma moeda fragilizada devido às sanções económicas ilegais impostas ao nosso país”, sublinhou. O Governo, assegurou, estabeleceu “uma plataforma política aberta” para todos os partidos debaterem reformas económicas e políticas.
Mnangagwa disse ainda que as sanções dos EUA e da Europa estão a “desacelerar o progresso” e a “punir os mais pobres e vulneráveis da sociedade”.
Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram sanções há quase duas décadas devido às violações de direitos no país. Em Agosto, os EUA colocaram na lista de sanções um ex-general do Exército do Zimbabwe que comandou as tropas acusadas de matarem seis civis, há um ano, durante as eleições.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo