Política

Ministro Mário Oliveira prioriza formação de quadros do sector

Yara Simão

Jornalista

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira, considerou urgente que se configure como prioridade a formação de quadros, a modernização de serviços e, sobretudo, a melhoria das condições laborais de cada uma das dependências e das empresas do sector.

24/09/2022  Última atualização 08H15
Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Mário Oliveira © Fotografia por: Rafael Tati | Edições Novembro

Falando sexta-feira(23), em Luanda, depois de empossar os secretários de Estado para as Telecomunicações, Tecnologias de Informação, Pascoal Borges Alé Fernandes, e para a Comunicação Social, Nuno dos Anjos Caldas Albino, disse que a formação de quadros é um condimento importante para a materialização e melhoria dos serviços prestados no departamento ministerial.

Mário Oliveira destacou a contínua necessidade de se dotar os órgãos de comunicação social de equipamentos modernos para dar resposta aos desafios da nova Angola, considerando premente para a concretização do Executivo, por ser uma ferramenta indispensável para uma boa comunicação proactiva, persuasiva, apelativa e plural.

Disse que serão dadas sequências formativas para qualificar cada vez mais os quadros do sector, principalmente, os profissionais da RNA, TPA, JA e Angop, relacionadas com áreas específicas, além de outras de âmbito geral, incluindo as técnicas e engenharia.

"Não podemos ignorar o facto de que, para uma boa comunicação, é necessário acompanhar um bom desempenho tecnológico”, realçou o ministro, referindo que a qualidade dos trabalhadores reflecte muito do que é a vida social do país, pois "é imperioso continuar a privilegiar não só a formação, mas também as condições de trabalho, para que estejam presentes nos programas de modernização que o sector pretende materializar”.

Por isso, prosseguiu, o Governo vai continuar a implementar os programas de modernização já iniciados, com destaque para o Programa Espacial Nacional, modernização da rede de emissores da Rádio Nacional de Angola (RNA), da Televisão Pública de Angola (TPA), este, já em fase conclusiva, do INAMET, bem como a implementação da Rede Nacional de Banda Larga, em fibra óptica, entre outros.

Frisou que a contínua criação de mecanismos para melhorar as condições sociais de trabalho dos funcionários do sector é outra tarefa, que se propõe levar a cabo, numa parceria com todas as forças vivas para alcançar os objectivos preconizados.

Mário Oliveira referiu-se, também, sobre a facilitação das fontes por parte do aparelho central do Estado até aos órgãos da administração local, para facilitar o trabalho dos jornalistas nas redacções e uma comunicação sem ruído, "onde o contraditório é a pedra angular de um jornalismo que se quer cada vez mais responsável e patriótico”.

Elogiou o Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), pelo seu dinamismo notável, apelando a prosseguir no processo de revitalização, com o objectivo social de criar melhores competências para que os técnicos da comunicação social possam continuar a responder aos grandes desafios, além de  indicar a modernização como um dos pilares do programa de trabalho com os quais está empenhado.

 Melhoria dos programas

Para a TPA, disse, o programa de modernização não termina com a implementação da TPA Notícias, mas prepara-se, também, para o surgimento de canais e melhorias da produção de conteúdos, com mais cultura, mais nacional e regional.

Para a Rádio pública, Mário Oliveira afirmou que a modernização da rede de emissores, acoplada à emissão online e à descontinuação do canal internacional em formato analógico para o digital, é uma missão a prosseguir, em todo o país, para fazer com que algumas zonas cinzentas registadas desapareçam do mapa da radiodifusão.

A introdução das rádios comunitárias é um desígnio da sociedade, fazendo com que a mensagem chegue no receptor com a codificação necessária com os seus factos e protagonistas, de acordo do titular da pasta do MINTTICS.

Quanto aos jornais, o ministro explicou que as empresas detentoras dos serviços interessados, na publicação, devem melhorar a componente circulação, fazendo com que os periódicos cheguem às zonas mais recônditas do país.

"O recurso das novas tecnologias de informação e comunicação são um garante para a expansão da cobertura”, disse Mário Oliveira.

 AngoSat-2

O governante anunciou que está em curso o projecto AngoSat-2 e que, brevemente, o país beneficiará dos serviços e com ele os operadores poderão oferecer novos serviços aos cidadãos.

Fez saber que projectos como Angosat e o Programa de Observação da Terra, como estruturantes, estão a promover as diferentes agendas temáticas da transformação digital, posicionando Angola como força motriz para acelerar o mercado digital de África e melhorar o ambiente de negócios e a modernização tecnológica dos serviços públicos.

Mário Oliveira assegurou que vai continuar a promover o desenvolvimento sustentável de telecomunicações de uso público e formar as linhas orientadoras que permitam a médio e longo prazo dar satisfação às necessidades básicas das populações, das empresas e de todos os outros utilizadores em todo o território nacional.

Informou que o Governo vai investir em projectos estruturantes e indutores com a criação da indústria e mercado da teledifusão no quadro da estratégia de comunicação digital, a infra-estrutura nacional de banda larga em fibra óptica submarina e terrestre, a infra-estrutura nacional de transmissão do satélite do projecto da rede de comunicação via Angosat e do Programa de Observação da Terra, no quadro da estratégia do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN).

Por fim, o ministro solicitou aos empossados maior empenho, dedicação e responsabilidade nas suas tarefas, realçando que para garantir o bom funcionamento do sector é necessária a conjugação de esforços de equipa, que deve primar por elevados níveis de profissionalismo, abnegação, organização e disciplina, mantendo um alinhamento perfeito com os ditames da Lei.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política