Política

Ministro do Território avalia infra-estruturas

O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, desloca-se hoje ao município de Ngonguembo, 145 quilómetros da capital do Cuanza-Norte, Ndalatando, com o propósito de avaliar a situação política, social e económica da localidade, no quadro da visita de trabalho de dois dias à província.

06/09/2019  Última atualização 09H29
Edições Novembro

A agenda do ministro no município de Ngonguembo contempla encontros com os membros da administração local, de quem receberá informações detalhadas sobre as acções desenvolvidas em prol da desconcentração administrativa e do programa Integrado de Desenvolvimento local e Combate à Pobreza.

Ao ministro Adão de Almeida, também, serão dadas explicações sobre questões ligadas à análise do regime financeiro local, projectos ligados ao sector agropecuário, ordenamento do território, sobretudo, relativo à organização das comunas, bairros e concessão de direitos fundiários, a par de uma visita guiada às obras de infra-estruturas sociais, em curso no município de Ngonguembo.
Hoje, em Ndalatando, o governador Adriano Mendes de Carvalho recebeu o ministro Adão de Almeida, referiu-se sobre as principais necessidades da região, sobretudo em termos de infra-estruturas, bem como os constrangimentos na execução dos planos integrados de Intervenção nos Municípios e de Investimentos Públicos.
Adriano Mendes de Carvalho disse ao ministro que a região precisa executar urgentemente um programa de curto e médio prazo, visando a melhoria das vias rodoviárias, para melhorar a circulação de pessoas e bens entre as sedes municipais.
Segundo o governador, a degradação das estradas na região impossibilita maior acesso dos serviços de saúde e de ensino às localidades e o escoamento da produção agropecuária para os centros comerciais, quer da cidade de Ndalatando quer de outras regiões.
O governante queixou-se ainda da falta de transportes nos diferentes municípios e de quadros para os sectores da Educação e da Saúde. A título de exemplo, revelou que a assistência médica em comunas com mais de oito mil habitantes é assegurada por apenas dois técnicos de saúde.
Sublinhou que o Cuanza-Norte possui cerca de 500 mil habitantes e que a sua riqueza passa pelos solos aráveis, recursos florestais e hídricos, que podem jogar um papel importante no âmbito da diversificação da economia. Convidou, por isso, investidores privados nacionais e estrangeiros a investirem na região para assegurar o crescimento económico e social da província.
O ministro da Administração do Território e Reforma do Estado visitou ontem o município do Cazengo, o Hospital Sanatório do Quilómetro Onze, o Centro de Captação e Tratamento de Águas do Muacari, a Escola do bairro São Filipe, a Centralidade de Ndalatando, o Instituto de Investigação Agronómica e Estação Experimental Agrícola do Quilombo e as obras do mercado municipal.
Integram a delegação do ministro, os secretários de Estado da Energia, António Balsa, da Educação, Jesus Baptista, da Construção, Carlos Santos, da Agricultura, José Bettecourt, e da Saúde, Leonardo Europeu.
Directores e chefes de departamento do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado também engrossam a comitiva.

 

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política