Sociedade

Ministro da Cultura incentiva hábitos de leitura no Namibe

Maria Cavela | Moçamedes

Jornalista

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente , Filipe Zau, incentivou , ontem, em Moçâmedes, Namibe, a prática da leitura, tendo considerado que com o livro entende-se melhor o caminho do progresso, o significado do que é ser democrata e a necessidade de fazer desenvolvimento com solidariedade.

14/01/2022  Última atualização 08H40
Ministro da Cultura efectua visita à província do Namibe © Fotografia por: Irineu Cola| Edições Novembro | Namibe
O ministro que efectua uma visita de   trabalho ao Namibe,  para um período de 4 dias,  fez esta declaração na inauguração da Biblioteca comunitária do bairro 5 de Abril, o mais populoso de Moçâmedes,  onde destacou a importância de um livro que no seu entender, serve para que  nos habituemos à mudança de mentalidade.

"Esta Biblioteca e a sua iniciativa, em tempo de conhecimento  é demasiadamente importante para que nos habituemos a mudança. Do deserto podem nascer flores, a utopia faz-se com ilusões através do conhecimento e vencendo todas as distâncias que à partida nos parecem  difíceis. O livro tem esta função ", disse.

Filipe Zau destacou  o impacto positivo que a estrutura vai proporcionar aos usuários e apelou mudança de comportamento de muitos, depois da utilização dos livros educativos que se encontram no local, e apelou para de forma cívica dar-se  um bom tratamento  deste bem público.

"A leitura é a melhor forma de se libertar da escravidão mental. A democracia, liberdade, conhecimento e capacidade de entendimento dos problemas sociais a ser resolvido só é percebida com a existência de bons leitores”, realçou.

A biblioteca comunitária do bairro 5 de Abril em Moçâmedes, tem a capacidade de albergar 50 pessoas por dia e encontra-se apetrechada com mais de cinco mil livros de diversa natureza, incluindo conteúdos virtuais.

O administrador de Moçâmedes, Carlos de Sá, disse que a necessidade de alargamento de espaços de consultas para os jovens e crianças é uma vitória social, por conta da falta de locais para leituras e consultas.

Por outro lado, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, manifestou  preocupação  pela forma como os dados históricos da província do Namibe estão a ser tratados.



Por este motivo, durante a visita efectuada  ao Arquino histórico local, Filipe Zau,  defendeu a necessidade da conexão dasfontes históricas e escritas provincial , com o centro nacional de conservação da história de Angola.

Durante a visita, o ministro vai avaliar o projecto de instalação de uma usina (central) de processamento de resíduos de plásticos, baseado nos princípios de bio refinaria integrada para a produção de combustível.

O titular da Cultura, Turismo e Ambiente  irá analisar com as autoridades locais,  o projecto de instalação de uma unidade de dessalinização de água para a região do Namibe., bem como, manterá encontros com o Governador da província do Namibe, Archer Mangueira, e representantes das autoridades tradicionais locais, para constatar as dificuldades provocadas pela seca, e encontrar soluções com a instalação de mecanismos alternativos para oaproveitamento das águas do mar (dessalinização).
O vasto programa do ministro prevê visitas ao aterro sanitário de
Moçâmedes, polígono da Pumangol, Cine Estúdio, Arquivo Histórico,
Biblioteca e o Museu provincial. Constam do programa, visitas ao Centro

Agro-ecológico da Bibala, Praias do Soba e das Mariquitas, Farol do Piambo e ao Parque Nacional do Iona. Filipe Zau terá ainda um encontro com empresários locais vocacionados para a Hotelaria e Turismo.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade