Mundo

Ministro belga da Justiça escapa a plano de rapto

O ministro da Justiça da Bélgica garantiu, segunda-feira, que estava a salvo, mas que iria permanecer sob forte protecção policial, depois de terem sido detidos quatro alegados traficantes de droga, suspeitos de planearem o rapto do governante.

28/09/2022  Última atualização 10H30
© Fotografia por: DR

Numa mensagem nas redes sociais, Vincent Van Quickenborne garantiu que está "salvo e em boas mãos”, mas terá de faltar a algumas reuniões durante os próximos dias. O ministro contou à televisão belga RTBF, citado pela Associated Press, que foi desmantelado um plano para o raptar, por parte de membros de uma "máfia de tráfico de drogas”. Os quatro suspeitos foram detidos nos Países Baixos, país que faz fronteira com a Bélgica, e deverão ser extraditados em breve.

À Associated Press, o Procurador-Geral do país contou que os quatro suspeitos foram detidos com uma arma automática e uma garrafa de gasolina num veículo na cidade de Kortrijk, onde o ministro da Justiça faz parte da assembleia municipal. Em resposta ao incidente, na segunda-feira, a Polícia belga definiu um perímetro em torno da casa do governante, e foi mobilizada uma brigada especializada em explosivos, como precaução. No Twitter, o Primeiro-Ministro belga, Alexander De Croo considerou o incidente "puramente inaceitável” e salientou que o Governo "não será intimidado por ninguém”.

Vincent Van Quickenborne responsabilizou os grupos de tráfico de drogas, que têm crescido exponencialmente na Bélgica. Citando dados do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência, a agência norte-americana de notícias salienta o crescimento do tráfico de substâncias ilegais. Van Quickenborne deixou claro que o plano só o motiva "a continuar a lutar” contra o narcotráfico. "Continuaremos a lutar contra o crime organizado, com mais recursos humanos que antes”, prometeu.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo