Economia

Ministro avalia funcionamento das estruturas do sector no Soyo

O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, visita hoje, no Soyo, as instalações do ciclo combinado de produção térmica de electricidade, a Base do Kwanda, dedicada à logística do sector petrolífero, e a sociedade Angola LNG, de processamento de gás natural.

06/09/2018  Última atualização 09H18
Vigas da Purificação | Edições Novembro © Fotografia por: Ministro permanece no Soyo durante todo o dia de hoje

O Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (Mirempet) declarou ontem ao Jornal de Angola que a deslocação tem o objectivo de verificar o actual funcionamento dos empreendimentos do sector dos hidrocarbonetos implantados no Soyo, avaliar o seu desempenho e a sua inserção no mercado internacional.
O Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Mirempet, Luciano Canhaga, anunciou que Diamantino Azevedo vai deter-se, durante a visita, na Base do Kwanda, onde se desenrolam as principais actividades de logística do sector petrolífero naquela província.
A Base do Kwanda presta assistência técnica às empresas do sector implantadas na região do Soyo, sobretudo nos domínios da acomodação, alimentação e toda a logística necessária para a realização das actividades petrolíferas.
O ciclo combinado do Soyo está ligado por um gasoduto de 16 quilómetros às instalações da Angola LNG, de onde obtém vapor e gás recuperado para pôr em marcha turbinas com capacidade para produzir 750 megawatts de electricidade.
Com um investimento de dez mil milhões de dólares, a sociedade Angola LNG foi construída para aproveitar o gás natural e envolve uma parceria entre a Sonangol, Chevron, BP, ENI e Total para recolher, processar e lançar anualmente no mercado global 5,2 milhões de toneladas de Gás Natural Liquefeito (LNG).
A companhia abastece também o mercado angolano com o objectivo de satisfazer as necessidades energéticas da indústria e de consumo local.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia