Sociedade

Ministra da Educação garante a construção de mais escolas

A ministra da Educação, Ana Paula Elias, garantiu, ontem, na cidade do Huambo, a construção de mais escolas em todo o país, para diminuir o número gritante de crianças fora do sistema normal de ensino, devido à escassez de infra-estruturas.

30/01/2020  Última atualização 11H33
Santos Pedro | Edições Novembro © Fotografia por: Ana Paula Elias diz que diminuir o número de crianças fora do sistema de ensino é a aposta

A titular do pelouro da Educação, que escalou a cidade do Huambo, em trânsito para a província do Bié, onde, amanhã, testemunha a cerimónia de abertura oficial do ano lectivo 2020, mostrou-se desapontada com o atraso que se regista na entrega de certificados para os estudantes finalistas do ensino médio que pretendem ingressar nas instituições de ensino superior.

Sobre a questão do atraso na entrega dos certificados por parte das direcções de escolas e institutos médios, a ministra da Educação deu a conhecer que nos próximos tempos será aplicada uma nova dinâmica, para inverter o quadro que tem contribuído para o não ingresso de mais estudantes no ensino superior, devido à falta deste importante documento.
Ana Paula Elias atribuiu a falta de recursos humanos como uma das causas que também estão na base da entrega tardia dos processos, acrescentando que “é preciso encontrar mecanismos e soluções para se poder ultrapassar estas situações”, pelo que, reforçou, deve haver a boa colaboração entre a comissão de pais e outros membros da sociedade civil.
A aposta que o sector pretende implementar, explicou, passa, necessariamente, pela formação dos docentes, disse a governante, afirmando que este objectivo poderá reflectir-se na melhoria da qualidade do ensino no país.
A ministra assegurou que se está a trabalhar para a erradicação do analfabetismo, pelo que será levada a cabo uma campanha em colaboração com a sociedade civil, igrejas e outros parceiros sociais que intervêm no processo de ensino e aprendizagem.

Abertura do ano lectivo

A província do Bié prevê integrar mais de 49 mil alunos no ano lectivo 2020, que se inicia amanhã, cujo acto de abertura se presume seja presidido pela ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira. No Cuito, a governante vai inaugurar duas escolas, uma de oito salas e outra de 12, nos bairros Piloto e Ngele.
Francisco Machado, director em exercício do Gabinete Provincial da Educação no Bié, afirmou que, para a inclusão de mais alunos no sistema de ensino, foram construídas e apetrechadas mais 453 novas salas de aula em toda a província.
“Para o presente ano lectivo teremos mais 453 salas de aula e mais mil novos professores que ingressaram no último concurso público”, garantiu o director provincial do Bié da Educação, Ciência e Tecnologia.
Estima-se que no ano passado cerca de 90 mil alunos tenham ficado sem estudar, por falta de salas de aula e de professores. Quanto ao aproveitamentos escolar, o mesmo fixou-se na ordem dos 60 por cento, segundo o responsável em exercício da Educação.
Francisco Machado disse que as 453 salas vão facilitar o ingresso de 49 mil novos alunos, assim como de novos professores. “Nesta fase, os novos professores recrutados estão a fazer os contratos de trabalho e recolha dos documentos para a formalização da contratação”, explicou.
No município do Chinguar, será inaugurada uma escola do II Ciclo, com 12 salas de aula.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade