Política

Ministério quer mais divulgação de conteúdos nacionais na televisão

Alexa Sonhi

Jornalista

O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS) vai reforçar a relação com as empresas e indivíduos que operam no campo de produção de canais e conteúdos em Angola, para se encontrar as melhores vias que permitam maior absorção de matérias nacionais veiculadas nas plataformas e estações de televisão.

06/08/2022  Última atualização 08H55
Nuno Caldas apelou à maior promoção de questões nacionais © Fotografia por: Armando Costa | Edições Novembro

Este compromisso foi assumido, ontem, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Caldas Albino, durante o acto de abertura do Seminário para Produção de Conteúdos, Critérios de Selecção para a Inserção de Matérias Veiculadas  em Canais e Plataformas de Distribuição de Conteúdos.

Nuno Caldas Albino disse que o MINTTICS tem se engajado, cada vez mais, no desenvolvimento da produção nacional de conteúdos, e a sua disponibilização na grelha das plataformas de distribuição de matérias e estações de televisão.

O secretário de Estado frisou que, para as produtoras de conteúdos que ainda não estiverem no mercado e queiram fazê-lo, o MINTTICS vai prestar todo o apoio necessário para sua inserção de forma legal.

Mas, para tal, salientou a importância das produtoras e produtores analisarem bem as disposições legais sobre os procedimentos de legalização da actividade das empresas do sector da Comunicação Social, com vista a proporcionarem mais conhecimento a fim de trabalharem em conformidade com a lei.

Nuno Caldas Albino avançou que, actualmente, existe um distanciamento entre os agentes do processo produtivo e de distribuição de conteúdos audiovisuais, porque os primeiros reclamam da falta de interesse do segundo grupo em adquirem a sua produção.

Já os agentes de divulgação e distribuição audiovisual , prosseguiu o responsável, consideram os conteúdos dos agentes produtores como estando fora dos seus padrões de qualidade para serem divulgados.

 Maior unidade

Para o secretário de Estado, esta divergência de abordagem não favorece o desenvolvimento da produção de conteúdos nacionais, nem proporciona a disponibilidade destes produtores ao público, deixando os consumidores a mercê dos conteúdos estrangeiros.

Por isso, o seminário foi organizado para juntar as plataformas de distribuição de canais de conteúdos e as estações de televisão com os produtoras de conteúdos, visando o debate dos aspectos estranguladores desse mercado e identificar pontos convergentes, que levam a promoção e desenvolvimento deste sector.

Nuno Caldas Albino aproveitou a oportunidade para incentivar os presentes a criarem um fundo que viabilize a co-produções, juntando plataformas de distribuição e canais de estações de TV com produtores e produtoras de conteúdos, de modo a que os mesmos tenham qualidade exigida para serem disponibilizados ao público.

Garantir aproximação de agentes

O director nacional de Informação e Comunicação do MINTTICS, João Demba, considerou que o objectivo da realização do seminário era aproximar as empresas que operam no sector da produção de canais e conteúdos em Angola e entidades que actuam no campo da produção de conteúdos.

O Seminário para Produção de Conteúdos, Critérios de Selecção para Inserção de Matérias Veiculadas em Canais e Plataforma de Distribuição de Conteúdo, organizado no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), contou com a presença de directores da ZAP, DSTV, TV Cabo, produtores individuas de conteúdos e estudantes de Comunicação Social, entre outros.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política