Política

Membros das mesas das assembleias de voto terminam formação

André Brandão| Ndalatando

Mais de 2.000 membros das mesas das assembleias de voto em todo o território da província do Cuanza-Norte encerraram, ontem, o ciclo formativo de cinco dias, enquadrado nas várias acções que a Comissão Nacional Eleitoral vem desenvolvendo na preparação das Eleições Gerais de 24 de Agosto de 2022.

13/08/2022  Última atualização 06H40
Membros das mesas das assembleias de voto © Fotografia por: Nilo Mateus | Edições Novembro
Durante o encerramento da actividade que teve lugar na quadra desportiva da Escola do Primeiro Ciclo do Bairro Catome de Baixo, em Ndalatando, o presidente da Comissão Provincial Eleitoral do Cuanza-Norte, Gabriel Domingos, informou que um total de 70 formadores, 523 mesas de voto, 317 assembleias de voto e 2.092 membros de mesas de voto para uma população avaliada em 249.917 eleitores estão em prontidão.

De acordo com o dirigente, os membros das mesas e assembleias de voto, no quadro das Eleições Gerais, possuem um papel importante neste processo e têm as responsabilidades de organizar, dirigir e coordenar os trabalhos na mesa de voto, desde a abertura, votação e escrutínio.

Segundo o responsável, neste processo foi depositada confiança aos formadores na tarefa de transmitir os conteúdos das matérias com precisão e clareza, para que os membros das mesas e assembleias de voto possam executar as suas tarefas sem constrangimentos.

 Gabriel Domingos disse que foi reforçada a atenção dos formandos durante a formação para que no dia 24 do corrente mês os recém-formados não encontrem dificuldades e atrapalhem o processo eleitoral em curso, porque é na mesa de voto onde decorrem todas as acções relacionadas ao exercício de votação.

Explicou que na mesa de voto vão encontrar os membros das mesas e assembleias de voto, os delegados de lista, os observadores, os eleitores, e todos os agentes eleitorais, cada um desempenhando a sua função. Considerou ser pesada a honrosa tarefa de levar aos órgãos eleitorais conhecimento e o domínio das tarefas que se prendem com a execução exitosa do processo eleitoral em curso.

Para o responsável, as Eleições Gerais de 2022 representam um acontecimento de capital relevância para a República de Angola, pois todos os cidadãos angolanos com o registo eleitoral actualizado e que possuem cartão de eleitor ou Bilhete de Identidade são chamados a exercer o seu direito de voto, para a escolha dos representantes, que se encontrem a residir em território nacional ou no exterior, desde que não estejam abrangidos por nenhum impedimento legal.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política