Economia

Melhoria do ambiente de negócios agrada empresários

Arão Martins | Lubango

Jornalista

O presidente da Associação Agropecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL), Paulo Gaspar, enalteceu, ontem, na Cidade do Lubango, as políticas públicas levadas a cabo pelo Executivo angolano nesta legislatura, facto que melhora o ambiente de negócios e agrada aos empresários na generalidade.

11/08/2022  Última atualização 08H55
O Banco de Poupança e Crédito (BPC) é um dos expositores presentes com vários produtos © Fotografia por: Arão Martins | Edições Novembro

Paulo Gaspar, que falava na abertura da 29ª edição da Expo-Huíla, que decorre até domingo, reconheceu existir ainda muito por fazer, mas também admite que os empresários daquela associação acreditam na "grande” capacidade do Executivo em reverter o que ainda esteja em falta.

De acordo com Paulo Gaspar, a falta de energia e água em quantidade e qualidade, bem como de redes viárias e ferroviárias com capacidade para dar vasão ao escoamento da produção existente, constituem ainda preocupação da classe. Acrescentou que a carga tributária excessiva, deficiente ou inexistência da rede logística são outras inquietações que devem ser superadas.

"Acreditamos num futuro melhor para todos nós, fruto do grande esforço que o Executivo tem feito não só em prol da classe empresarial, mas também da nação angolana”, reconheceu.

 

Grandeza da Expo-Huíla

Apesar de algumas ideias contrárias, a Expo-Huíla continua a ser a segunda maior feira em Angola, reconheceu Paulo Gaspar, tendo acrescentado que o evento é também o segundo mais antigo do país.

Segundo ele, a Expo-Huíla é feita de empresários para empresários, onde os preços são mais competitivos e mais baixos. Paulo Gaspar explicou, por outro lado, que muito se questiona da possível deslocação da Expo-Huíla do recinto do Complexo Turístico da Nossa Senhora do Monte devido à exiguidade de espaço.

Nesse sentido, disse que, em conjunto com o Governo da Província da Huíla, já se encontrou solução, que vai fazer com que o evento permaneça no actual local.

"Queremos deixar bem claro que a classe de empresários da Huíla não concorda com a mudança e agradecemos ao governador da província, Nuno Mahapi Dala, que anunciou ter encontrado solução para a ampliação e modernização das actuais instalações, sem a necessidade de mudança”, disse.

 

30 anos da AAPCIL

Trinta anos depois da criação da Associação Agropecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL), a classe continua com os mesmos problemas, lamentou o presidente.

Paulo Gaspar apontou a morosidade na resolução do prédio da Associação, cujo processo encontra-se no tribunal há anos.

"Infelizmente, há 14 anos que o processo se encontra na Justiça e não é decidido. É caso para dizer que a Justiça tarda mesmo e, neste caso, tarda muito”, disse.

O empresário está à frente dos destinos da AAPCIL há oito anos. Segundo afirmou, ao longo dos últimos 8 anos, a direcção da AAPCIL tentou fazer o melhor na defesa dos interesses da classe e nem sempre foi compreendida. Esclareceu que a AAPCIL celebrou em Março deste ano, 31 anos desde a sua fundação. Enalteceu, por isso, a bravura do grupo de empresários que na altura já pensava na união que faz a força.

"Chocámos muito, negociámos, tivemos muitas vitórias, mas também muitas derrotas”, reconheceu, acrescentando que a actual direcção está a chegar ao fim do mandato e com muita mágoa, pois fomos incapazes de resolver o principal problema da candidatura, da resolução do nosso prédio”, frisou.

Presente ao acto esteve o ministro da Agricultura e Pescas, António Francisco de Assis. Na ocasião, Paulo Gaspar reconheceu a honestidade do governante e do seu pragmatismo.

O governador provincial da Huíla, Nuno Mahapi Dala,  também esteve presente na cerimónia de abertura da Expo-Huíla 2022,todavia, face ao actual momento político de campanha eleitoral, não se pronunciou nessa condição.

A Expo-Huíla realiza-se no âmbito das festas da Nossa Senhora do Monte e vai decorrer de 10 a 14,no Lubango.

Expositores contribuem para a diversificação

A vontade das empresas nacionais em fazer negócios é uma demonstração clara do contributo de todos no processo de diversificar a economia, gerar emprego, aumentar a renda e contribuir na melhoria da qualidade de vida das populações.

O reconhecimento foi expresso pelo governador provincial da Huíla, Nuno Mahapi Dala, em declarações ao Jornal de Angola, à margem da cerimónia de abertura da XXIX edição da Expo - Huíla, que junta no Lubango, mais de 320 expositores até ao próximo domingo.

O governante disse que o sentimento é positivo e parabenizou a organização do certame, salientando que o facto é uma forma verdadeira de demonstrar o rumo que o país tomou.

"A Huíla, em particular, e o país, em geral, tem tudo para crescer, onde o sector privado joga um papel importante no rumo que se pretende alcançar”, disse.

Garantiu que o Governo vai continuar a abraçar as ideias e iniciativas que visam proporcionar o bem-estar de todos e contribuir no desenvolvimento que se almeja.

 

 Requalificação do recinto

O governador provincial da Huíla anunciou que o recinto da Expo-Huíla foi incluído no programa de requalificação, tardado, devido à Covid-19.

"Infelizmente parámos por causa da Covid-19. Já fi-zemos algumas demolições, existe um projecto orçado e cabimentado para começarmos a fazer uma feira que responda com as exigências de crescimento e interesse dos empresários em participar do certame, que constitui a maior Bolsa de Valores do Sul de Angola”.

Nuno Mahapi Dala reconheceu que os recursos estão a ser bem encaminhados e vai ser feita uma feira que dignifica o empresariado local e não só.

Enalteceu o profissionalismo dos expositores, bem como, garantiu todo o apoio ao governador provincial da Huíla.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia