Sociedade

MED vai inserir francês a partir do ensino primário

O Ministério da Educação (MED) está a estudar a possibilidade da inserção, nos próximos tempos, da Língua Francesa, a partir do ensino primário, anunciou quinta-feira, em Luanda, o director-geral do Instituto Nacional de Avaliação e de Desenvolvimento da Educação (INADE).

25/11/2022  Última atualização 10H57
Diasala André e Daniel Vosgien no acto do Dia do Professor Francês © Fotografia por: Albano Pedro

Diasala André referiu que a inserção aconteceria a partir do terceiro ciclo de aprendizagem, ou seja, na 5ª e 6ª classes, com vista a aprimorar o ensino da Língua Francesa nas zonas fronteiriças com os países francófonos.

Neste momento, o Ministério da Educação está a desenvolver uma parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o programa de transformação curricular que pretende rever o sistema do ensino da Língua Francesa no país.

A par disso, disse que se está a desenvolver várias formas no quadro do ensino técnico de formação profissional, acções específicas direccionadas com os institutos médios agrários, onde a cooperação francesa faz sentir.

Neste momento, o MED, em cooperação com a Embaixada Francesa em Angola, tem estado a formar professores de francês nas 18 províncias do país.

O embaixador da França em Angola, Daniel Vosgien, garantiu a assistência técnica e a formação contínua de docentes de Língua Francesa em matéria de novas tecnologias de informação, com base em acordos do MED.

O diplomata falava durante a abertura da conferência de celebrações do Dia Internacional do Professor de Francês em Angola, no âmbito da cooperação educativa no país, sob lema "O professor de francês como criador do futuro”.

Daniel Vosgien referiu que os eixos definidos como caminhos que a formação de professores demonstra de como vão adquirir as novas competências criativas para uma maior autonomia na produção pedagógica.

Até agora, a rede de escolas secundárias da Eiffel existem no Bengo, Malanje, Cuanza-Norte e Cunene.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade