Regiões

Mbanza Kongo reforça abastecimento de água

O novo sistema de abastecimento de água potável à cidade de Mbanza Kongo e bairros periféricos, instalado no rio Lueji, está, desde a semana finda, a ser ensaiado e entra em pleno funcionamento no próximo mês de Setembro.

15/08/2019  Última atualização 11H46
Garcia Mayatoko | Edições Novembro|Mbanza Kongo © Fotografia por: O novo sistema de captação, tratamento e distribuição de água está instalado no rio Lueji

Uma nota da Empresa Provincial de Águas e Saneamento do Zaire indica que, com vista a abranger todos os clientes da rede pública, decorre, desde segunda-feira até ao dia 27 de Outubro, uma promoção de preços na celebração de contratos de consumo de água.
A nota avança que os clientes abrangidos na categoria de comércio e serviços devem pagar 5.500,00 (cinco mil e quinhentos kwanzas), ao passo que a categoria doméstica/social está no valor de 3.000,00 (três mil). A Empresa Provincial de Águas e Saneamento do Zaire alerta que apenas serão abastecidos os que tiverem contratos.
O documento acrescenta que o material instalado ou a instalar nas residências dos consumidores (caixa de betão, tampa, válvula magnética, contador, torneira, tubo e acessórios) é da inteira responsabilidade dos clientes, caso venha a ser vandalizado ou roubado.
Com a entrada em funcionamento da nova Estação de Captação e Distribuição de Água (ETA), a capacidade de abastecimento de água potável aos habitantes da cidade de Mbanza Kongo e bairros periféricos aumenta de 110 para 1050 metros cúbicos por hora.
A capacidade de armazenamento do novo sistema de água passa de 450 para três mil litros de água, repartidos em um reservatório elevado de mil litros e outro de dois mil. Em termos globais, o novo sistema de água tem capacidade de tratamento de 1000 metros cúbicos.
A rede de distribuição de água à cidade de Mbanza Kongo é composta por um ramal de 95.5 quilómetros de extensão, além das condutas adutoras que asseguram o transporte de água até a ETA, sendo uma com 1,9 quilómetros e outra com dez.
Até ao momento, foram já montadas cinco mil torneiras e os respectivos contadores em vários bairros da cidade Património da Humanidade. O projecto prevê efectuar 15 mil ligações domiciliárias no casco urbano e suburbano.
O propósito das autoridades governamentais é garantir o abastecimento de água potável aos habitantes, em quantidade e qualidade, para se evitar doenças que podem ser provocadas pelo consumo de água imprópria.

Cuito com mais ligações domiciliares

A segunda fase do projecto de reforço do abastecimento de água à cidade do Cuito foi lançada recentemente, com a construção de um novo sistema de captação, tratamento e distribuição, a partir do rio Cuquema.
O novo sistema, com capacidade para bombear 648 metros cúbicos por hora, vai fornecer água potável aos bairros periféricos e reforçar os actuais sistemas, cuja produção é insuficiente para atender toda a cidade do Cuito.
O director do Gabinete Provincial de Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Abel Guerra, referiu que já foram instaladas 1.500 ligações domiciliares nos bairros Militar, Jele, Azul 1 e 2. “As obras estão bastante avançadas e já foram efectuados alguns ensaios ao nível da bombagem de água bruta para a zona de tratamento, estando a empresa chinesa contratada a trabalhar na instalação de equipamentos electromecânicos”, afirmou.
“Com a conclusão deste projecto, ainda este ano, entre os meses de Outubro e Novembro, podemos injectar água para as cinco mil ligações, previamente contempladas na obra”, sublinhou.
Abel Guerra adiantou que recentemente foi aprovado um outro projecto, no quadro do programa de desenvolvimento do sector das águas, numa parceria com o Banco Mundial, onde estão previstas outras cinco mil ligações domiciliares, cuja empreitada começa ainda este ano.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões