Opinião

Matrículas sem cédula

Tomei conhecimento, com satisfação, de que as crianças que entram pela primeira vez para a escola podem matricular-se mesmo não tendo cédula pessoal, tendo os pais ou encarregados de educação noventa dias para tratá-la. Com esta medida, evita-se que muitas crianças fiquem fora do sistema de ensino.

21/06/2019  Última atualização 08H59

Era bom que os pais ou encarregados de educação com filhos matriculados sem cédula pessoal aproveitassem aquele prazo para tratá-la. Muitos pais ou encarregados de educação não tratam das cédulas pessoais dos filhos ou educandos por preguiça. Os pais ou encarregados de educação têm elevadas responsabilidades em relação à educação dos filhos ou educandos, pelo que se devem preocupar em tratar os documentos necessários para que estes estejam na escola.
Benjamim João | Rangel


Falsos médicos e enfermeiros
Sabe-se que em Luanda há um elevado número de postos médicos privados, em particular nas zonas suburbanas. Era bom, quanto a mim, que se fizesse urgentemente um levantamento destes postos médicos, para se saber se há ou não irregularidades no seu funcionamento. É preciso por exemplo saber se as pessoas que trabalham nesses postos médicos têm qualificações para curar doentes e se há condições para tratamento de pacientes em termos de estruturas físicas. Há indivíduos que se aproveitam do facto de os hospitais públicos serem morosos no atendimento a doentes para abrir postos "médicos". O doente em desespero geralmente entra no primeiro posto médico que encontrar, porque o hospital público pode ficar a muitos quilómetros da sua residência. Que a Ordem dos Médicos prossiga com um dos seus grandes objectivos que é o de detectar falsos médicos e enfermeiros. Que se façam operações de fiscalização a postos médicos privados sem aviso prévio, para se garantir a sua eficácia. Anda por aí muita gente a aldrabar, este é o termo, pessoas que, estando gravemente doentes, não se preocupam mais em saber se este ou aquele posto médico privado reúne os requisitos para exercer medicina e enfermagem. Há muita gente vigarista no nosso país. E todo o cuidado é pouco nestes tempos de crise.
Josefina André | Cazenga


Apodrecimento de alimentos
Soube por via de um órgão de comunicação social angolano que mais de cem toneladas de laranja correm o risco de apodrecer em Kindeje, uma localidade situada na província do Zaire, por falta de condições de escoamento. Numa altura em que há muita gente a passar fome, alguma coisa devia ser feita para se evitar o apodrecimento das laranjas e de outros produtos agrícolas. É triste saber que o trabalho de meses dos camponeses pode ter sido em vão. Os camponeses que perderem os bens que produziram podem ser tentados a emigrar para as zonas urbanas, porque pode não lhes interessar mais trabalhar no campo, por dificuldade de escoamento dos produtos. Neste momento em que queremos diversificar a economia, é importante que tenhamos muita gente a trabalhar também no campo.
Josué António | Maculusso

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião