Economia

Matadouro regional é construído na Huíla para elevar oferta de carne

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Um matadouro regional para servir filiados à Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA) está projectado, pelo Governo, declarou o ministro da Agricultura e Pescas, António de Assis, que, quinta-feira, participou na abertura 18ª Feira do Gado, um certame afecto a Expo-Huíla.

12/08/2022  Última atualização 09H58
Bovinos das raças Brahman, Simbra, Bonsmara, Nelore Ambaras e Zebú incluídas entre o gado em leilão © Fotografia por: Arão Martins | Edições Novembro

Mais de 150 cabeças de gado de diferentes espécies estão na exposição da Feira Agropecuária da Huíla, que decorre até domingo, no âmbito da 120ª edição das Festas de Nossa Senhora do Monte, na cidade do Lubango, Huíla.

O certame, uma iniciativa da Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA), visa promover o potencial ganadero da região.

Durante a feira, a organização espera arrecadar o equivalente a mais de um milhão de dólares num leilão de bovinos, entre os quais se contam cabeças das raças Brahman, Simbra, Bonsmara, Nelore Ambaras e Zebús, apesar de que a exposição inclui búfalos e cavalos.

No evento, participam empresários agro-pecuaristas oriundos das províncias de Luanda, Cuanza-Sul, Benguela, Huambo, Cunene, Namibe, Cuando Cubango e Huíla.

Além do gado, estão expostos no recinto da feira, equipamentos agrícolas e produtos para sanidade animal.

O presidente da Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola, Salvador Rodrigues, explicou que o leilão de gado, já se promove noutros pontos do país e é importante porque permite, também, a troca de experiências para que  mais criadores possam conhecer o mundo do gado.

Ao explicar as causas do emperramento do projecto do matadouro, o ministro afirmou que "o que tardou é a falta de dinheiro”, prometendo que "o Ministério a Agricultura e Pescas vai intervir junto dos órgãos afins para que tal facto seja uma realidade”.

O projecto consiste na construção, pelo Governo, e entrega do matadouro à CCGSA, o que é parte do reconhecimento institucional de que a província precisa e a região Sul precisam” de um matadouro.

O ministro da Agricultura e Pescas enalteceu o papel da CCGSA e o seu contributo na formação  da oferta ao mercado nacional. "Conhecemos o trabalho que é desenvolvido em condições adversas e os resultados são bastante positivos”, disse António de Assis, referindo a rentabilidade da actividade dos pecuaristas daquela região.

O presidente da CCGSA, Salvador Rodrigues, sublinhou, ao discursar na abertura da Feira da Gado, a evidencia da necessidade de aumento da capacidade de abate em condições de higiene, sanidade e qualidade alimentar, conforme os padrões legalmente exigíveis, de modo a conter a actividade informal de abate de gado.

O responsável atribuiu a rentabilidade da produção pecuária da região, ao programa de disseminação de barragens e canais de irrigação que está a ser implementado pelo Executivo, nas províncias do Sul.

 

Investimento público

Salvador Rodrigues apontou, quatro projectos de iniciativa governamental que contribuem para o sucesso da pecuária no Sul de Angola, como a barragem do Cafu, manifestando elevadas expectativas quanto a projectos como a barragem da Cova do Leão, a construção das barragens da Embala do Rei dos Gambos, Arimba e outras, associadas ao projecto do Calueque (Cunene) e ao sistema de irrigação do município de Chicomba.

Segundo o responsável, o programa de captação de água liderado pelo Governo, cuja implementação é alargada  às fazendas, constitui uma séria aposta para a pecuária e vai contribuir para a criação e produção de carne bovina e derivados.

Afirmou que, tal como acontece com os criadores tradicionais de gado, os filiados à CCGSA também estão afectados pela falta de água, com a solução global do problema a apresentar-se dispendiosa para o Governo.

"Deve-se favorecer a implementação de projectos inclusivos, como é o caso do programa sustentável de reconstrução de infra-estruturas de retenção de água e regadio para a produção sustentável de alimentos humanos”, disse Salvador Rodrigues.

Os projectos estruturantes nos quais se conta com a participação do Governo incluem,  além das barragens, a produção de ração e pastos, bem como acções de extensão rural, na manutenção, gestão e a conservação da biodiversidade, ambiente, combate às queimadas e da desflorestação.

Roubo de gado

O roubo de gado tem sido um problema que desde há muito, tem preocupado os criadores de gado do Sul de Angola, disse Salvador Rodrigues, indicando que o combate a essa prática é impulsionado pela colaboração entre a população e os criadores de gado, que adoptaram medidas preventivas.

"Temos estado a trabalhar em acções de execução de medidas preventivas contra o roubo de gado, identificando os principais défices de segurança da região e aumentando a fiscalização por parte das entidades locais, incluindo sobas e a Policia Nacional de Angola”, disse o presidente da CCGSA.

Os esforços nesse domínio envolvem, ainda, o Grupo Técnico Empresarial (GTE) e   cooperativas congéneres, algo que, até, resultou na criação da Federação Nacional das Cooperativas Pecuárias de Angola (FENACOOPA), num esforço mais amplo que transcende o combate ao roubo de gado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia