Cultura

Marito dos Kiezos é sepultado sexta-feira

Analtino Santos

Jornalista

O músico Marito dos Kiezos será sepultado, na sexta-feira, às 11h00, no cemitério da Santa’Ana, em Luanda. O corpo será velado amanhã, a partir das 18h00, no Centro Recreativo e Cultural Kilamba.

14/09/2022  Última atualização 07H00
Ministro Filipe Zau considera o malogrado uma figura marcante da música angolana © Fotografia por: Dr

A informação foi avançada ontem, ao Jornal de Angola, por Gegé Faria, integrante dos Kiezos. Segundo o antigo companheiro de Marito, amanhã à noite no Centro Recreativo e Cultural Kilamba haverá momento para depoimentos, homenagens e música. No dia seguinte, pela manhã, os restos mortais de Marito serão depositados no cemitério de Sant’Ana.

Desde o anúncio da morte do guitarrista figuras ligadas a diferentes sectores da sociedade têm prestado solidariedade e se deslocado à residência do malogrado para consolar a família e os integrantes do Conjunto Os Kiezos.

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Zau, esteve presente na residência do óbito, no primeiro dia, para confortar a família pela perda do seu ente querido. Em declarações à imprensa, Filipe Zau lamentou a morte do guitarrista e manifestou preocupação pelas recentes perdas de artistas como Tonito Fortunato e Pop Show, assim como dos integrantes dos Kiezos.

Dirigindo-se aos representantes do Conjunto, o ministro encorajou-os a continuarem a obra edificada por Marito, tendo prometido, por outro lado, apoio do Executivo angolano para a melhoria das condições sociais dos artistas.

Nas vestes de músico e compositor, Filipe Zau considerou Marito como um génio da guitarra e figura marcante da música angolana, tendo recordado momentos que partilhou em actividades artísticas. "Nós artistas ao longo do nosso percurso alegramos muitos em momentos tristes e às vezes sem o reconhecimento devido em vida é importante mudarmos o quadro”, disse emocionado.

São várias as mensagens que estão a chegar à redacção do Jornal de Angola. Em nota de condolências, o MPLA manifestou, ontem, consternação pela  morte do músico Anselmo de Sousa Arcanjo "Marito dos Kiezos, ocorrida no dia 12 deste mês, em Luanda, por doença. O MPLA lembra que o músico foi membro fundador do agrupamento musical "Os Kiezos”, conjunto de reconhecida qualidade e uma das maiores referências da matriz musical angolana, com um vasto reportório de onde se destacam, dentre outras, as canções "Princesa Rita” e "Milhorró”, esta última marcada pela estrutura textual com vários versos de índole satírica dirigidas ao regime político da época.

A nota de pesar acrescenta que "ao longo percurso profissional, o lendário guitarrista ‘Marito dos Kiezos’, membro da União Nacional dos Artistas e Compositores, com a carteira profissional nº 188, notabilizou-se, igualmente, pela elevada destreza na recriação de  solos de emblemáticos guitarristas internacionais, como o congolês  Francó. Proprietário de uma forma peculiar e inigualável de tocar a viola solo, Anselmo de Sousa Arcanjo partiu para a outra dimensão da vida com o estatuto de um dos mais talentosos guitarristas angolanos dos anos 70 e 80, alguém que com todo o mérito conquistou um lugar perene  no acervo cultural nacional, que ajudou a construir. Pelo infausto acontecimento, o MPLA apresenta à família de Anselmo de Sousa Arcanjo, ‘Marito dos Kiezos’, sentidos pêsames”.

Anselmo de Sousa Arcanjo, Marito  nasceu no dia 12 de Maio de 1947, em Luanda, no mês de Maria. A música absorveu-o muito cedo no Marçal. Em 1965 na zona do Kapolo Boxi com os amigos Kituxi, Adolfo Coelho, Avozinho, Tininho criaram o conjunto Os Kiezos. Temas instrumentais como "Memórias de Lamartine”, "Semba Henda”, "Saudades de Luanda”, "Ngola”, "Muxima” e "Obrigado, meu Amigo”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura