Cultura

Mário Rui Silva nas “Noites de Verão” em Lisboa

O músico e investigador Mário Rui Silva actua sexta-feira, no Museu Nacional de Arte Contemporânea, em Lisboa, no projecto Noites de Verão.

03/08/2022  Última atualização 10H16
© Fotografia por: DR

Nascido em 1952, Mário Rui Silva é tido como um dos principais divulgadores da música angolana e os seus trabalhos de pesquisa têm sido editados.

O músico e investigador angolano vive entre Angola e Europa, conviveu com os músicos camaroneses Francis Bebey e Ewanjé, participou nas gravações do disco "Angola 72”, do seu amigo e compatriota Bonga, assumindo como influência clara o guitarrista brasileiro Baden Powell.

A partir dos ensinamentos da lenda da música angolana e co-fundador dos N’gola Ritmos, Liceu Vieira Dias, Mário Rui Silva ganhou um entendimento técnico, político e espiritual da cultura musical angolana.

Às mãos de Liceu, os ritmos tradicionais do semba e da kazukuta dos anos 40 e 50 ajudaram a criar um sentido de orgulho nacional colectivo emancipatório, que acordou os ouvintes para a tirania do jugo colonial, contribuindo para o processo revolucionário do país rumo à auto-determinação e Independência.

Uma selecção de músicas dos três álbuns que Mário editou na década de 1980, nomeadamente "Sung’Ali” (1982), "Tunapenda Afrika” (1985) e "Koizas dum Outru Tempu” (1988), foram compiladas pela editora inglesa Time Capsule em vinil duplo, lançado em 2021.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura