Cultura

Manuel Rodrigues Boal lança livro de estreia

O nacionalista Manuel Rodrigues Boal, 88 anos, apresenta hoje, às 15h00, no auditório da Academia BAI, no Morro Bento, Luanda, o livro intitulado “Contribuição para o conhecimento do kimbundu”.

25/11/2022  Última atualização 08H16
Médico e nacionalista faz estreia, amanhã, no mercado © Fotografia por: DR

A obra, que é a primeira do autor, pretende ser um incentivo para o conhecimento e a investigação da cultura angolana, a promoção das línguas nacionais e a sua divulgação pelas gerações do presente e do futuro.

Ao longo de 133 páginas, o autor evoca as origens históricas e as variações dialécticas e regionais do kimbundu, sublinhando o valor dos estudos anteriormente realizados por especialistas da língua, como António de Assis Júnior e Joaquim Dias Cordeiro da Matta, e mais recentemente por José Domingos Pedro e Francisco da Silva Xavier, designadamente.   

Manuel Rodrigues Boal é médico especializado em Pediatria em França, em 1968,  e natural da Muxima, Kissama, onde nasceu em Maio de 1934.

Segundo o autor, esta obra pretende preencher uma lacuna que é precisamente "a dificuldade em encontrar fontes fidedignas para o conhecimento e a divulgação da língua, mas também apresenta sugestões sobre a sua grafia e pronúncia mais correctas”.

"É nossa intenção que a ‘Contribuição para o conhecimento do kimbundu’ ajude esta língua a expandir-se e a ganhar mais dinamismo, com ênfase para os falantes nas suas áreas de influência, isto é, nas províncias de Luanda, Bengo, Malanje, Cuanza-Norte e Cuanza-Sul”, realça o autor.     

Manuel Rodrigues Boal fez os estudos primários no Colégio 28 de Maio, no Dondo, e o secundário no Liceu Nacional Salvador Correia, em Luanda.

Em Junho de 1961 interrompeu a formação em Medicina em Lisboa para tomar parte na fuga dos estudantes das ex-colónias portuguesas e juntar-se ao Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) em Léopoldville, hoje Kinshasa. Ali, completou o curso de Medicina na Universidade de Lovanium, em 1962, participando, simultaneamente, nas actividades do Corpo Voluntário Angolano de Assistência aos Refugiados (CVAAR), com outros finalistas de Medicina, entre os quais João Baptista Vieira Lopes, Carlos Pestana Heineken, Edmundo Rocha, Rui Alberto de Carvalho, Manuel Videira e os veteranos e médicos Américo Boavida, Eduardo Macedo dos Santos, Hugo de Menezes e Mário Afonso de Almeida "Kasesa”.

A sua obra "Contribuição para o conhecimento do kimbundu”, com 133 páginas, compreende duas partes distintas: uma primeira com secções relativas à compilação de elementos de gramática e uma segunda em que se resume o sistema de relações comerciais baseado na troca de produtos e o processo de contagem do dinheiro em kimbundu instalado no Século XVII,  após a vigência do Lubôngo, Zimbu e do Cauri.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura