Cultura

Manuel Mendes: “Nagrelha foi a ponte de união familiar”

Manuel Albano

Jornalista

A promoção da irmandade, o espírito de união entre os membro da família, mesmo nos momentos mais difíceis, foi um dos maiores legados deixado por Nagrelha, confidenciou, esta segunda-feira (21), em Luanda, o irmão mais novo do malogrado.

22/11/2022  Última atualização 06H15
Legados deixado por Nagrelha © Fotografia por: Edições Novembro
As palavras de Manuel Mendes, quase que já não saiam de tanta dor, mas, ainda assim, conseguiu em poucas palavras e carregadas de boas e eternas lembranças do irmão que partiu para a eternidade, resumir que Nagrelha foi um pacificador, apesar das imperfeições de qualquer ser humano.

O irmão explicou que o Nagrelha valorizava a família e os amigos: "ele aproveitava os ambientes familiares para apelar à união e que deveríamos ser mais próximos um dos outros...”

Aos poucos, o cenário na Cidadela Desportiva tornava-se mais pesado, devido à carga emocional. Nas bancadas, as mais de mil pessoas aproximadamente, entre crianças, jovens e adultos, admiradores de Naná, como era carinhosamente tratado, faziam a "festa”. Em momentos intercalados, o Dj tocava louvores e temas dos Lambas.

Palavras de carinhos como "Nagrelha, com a tua partida o kuduro acabou”, "Nagrelha, continuas entre nós”, "Naná o povo estará sempre consigo” e outros slogans de demonstração de carinho ao kudurista, eram acompanhadas de exibição do famoso "o toque do Nagrelha”. Os assobios faziam relembrar os grandes clássicos e derby testemunhados na antiga catedral do futebol angolano.

Segurança garantida

Nem mesmo as fortes temperaturas que se fizeram sentir durante o dia de ontem, afugentou os milhares de admiradores do "Estado-Maior do Kuduro”, que desde as primeiras horas se deslocaram ao local do velório para render a última homenagem à figura que celebrizou a frase: "A morte e a vida são irmãos do mesmo pai, só que um não sabe brincar”.

O Instituto Nacional de Emergência Médica de Angola (INEMA) colocou na Cidadela Desportiva, desde o período da manhã de ontem, duas ambulâncias equipadas com monitores, ventiladores e aspiradores.

Quanto aos fármacos essenciais, o INEMA, segundo a nossa fonte, que preferiu o anonimato, disse que o posto médico avançado está equipado com paracetamol, diclofenaco e hidrocortisona. Para caso de existir ferimentos, o espaço tem ligaduras, compressas, betadine, meios para reidratação como soros orais e injectáveis. Tudo para garantir que nada falte em caso de alguma emergência.

O primogénito de Nagrelha, o jovem Mirelson, de 16 anos, actualmente, a jogar futebol na Academia do Sporting de Portugal chegou, ontem, de Lisboa, para acompanhar o funeral do pai.

A organização distribuiu água para todos. Felizmente, no período da tarde de ontem, ouve civismo e o público compreendeu a importância de se pautar por alguma disciplina.

No cair da tarde de ontem, por volta das 17h00, os ânimos na bancada alteraram. Quando tudo parecia ser uma actividade cívica em respeito à memória de Nagrelha, os admiradores, aqueles mais eufóricos começavam a ter um comportamento menos digno. Uns procuravam romper a todo custo o cordão e as barreiras criadas para se evitar que o público invadisse a parte do relvado em direcção à tenda do velório. A Polícia e a empresa de segurança rapidamente tomaram conta da situação.

O programa das exéquias do músico Nagrelha reserva para hoje, a partir das 8h00, uma missa de corpo presente.

Uma hora depois, a leitura da mensagem da família e seguida a partida do cortejo fúnebre passando por algumas artérias da cidade de Luanda, até ao Cemitério da Sant´ Ana, onde será sepultado, às 11h00. No velório estiveram presentes músicos, actores, realizadores, bailarinos, desportistas, dirigentes e os admiradores de Nagrelha.

Rap brasileiro "Emicida”

O rap e compositor brasileiro Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido por  "Emicida”, mostrou-se consternado com a notícia da morte do kudurista Nagrelha, na passada sexta-feira, vítima de doença prolongada, considerando como uma das maiores revelações do estilo em Angola. "Grande perda, talentoso Nagrelha dos Lambas! Descanse em paz. O kuduro amanhece mais triste. Meu coração está contigo Angola!”, recordou.

  Homenagem aos fazedores do estilo kuduro

À entrada do Estádio da Cidadela, ontem, por volta das 17h30, vários kudurista agitaram a plateia composta, maioritariamente, por jovens provenientes dos mais variados bairros de Luanda.

O cartaz fazia uma singela homenagem aos kudiristas Nagrelha, Máquina do Inferno, Própria Lixa, Nacobeta, Amizade, Pega Leve, Habibó, Nené Baila, Perereca e Rosa Baila.

Entre os fãs, uns choravam, enquanto outros cantavam alegremente as músicas dos Lambas. Na última sexta-feira, as vendedoras do Mercado de São Paulo renderam um tributo ao malogrado, quando por volta das 17h00, percorreram várias artérias do Sambizanga, com realce para as ruas  do Travasso, Lama e Baião. 

Os principais videoclipes do grupo foram todos gravados na rua, onde vivia o Nagrelha (dos Lambas), a famosa rua do Baião. O videoclipe "Provou e Gostou”, foi gravado no histórico Centro Cultural e Recreativo "Faria”, e os videoclipes dos temas "Comboio”, "MamaDi”, "Dizumba”, Sobe”, "Costuleta”, "É jajão”, "Iala”, "Nós Somos do gueto”, na extensão da mesma rua.

No domingo, o Governo da Província de Luanda apelou, aos admiradores do kudurista Nagrelha (dos Lambas), a pautarem pelo civismo e evitarem criar arruaças ou distúrbios na via pública antes, durante e depois do funeral, que se realiza, hoje, às 11h00, no Cemitério da Sant´Ana.

O pedido foi feito, durante uma conferência de imprensa, realizada na Galeria dos Desportos, na Cidade Desportiva, pelo vice-governador de Luanda, para o sector Político e Social, Manuel Gonçalves, que pediu a observância da prática da boa convivência social.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura