Sociedade

Manuel Homem ausculta munícipes do Kilamba Kiaxi

Nilza Massango

O governador da província de Luanda, Manuel Homem, prometeu, ontem, melhorias no saneamento básico e mais água ao município do Kilamba Kiaxi.

06/10/2022  Última atualização 07H55
Governador provincial de Luanda está a inteirar-se sobre as principais dificuldades dos municípios para a sua resolução © Fotografia por: Contreiras Pipa| Edições Novembro
Depois de auscultar os munícipes do Kilamba Kiaxi, no anfiteatro do Instituto Superior Politécnico Tocoista, reconheceu que o município tem dificuldades, como insegurança pública, particularmente nos bairros Rasta, Matríx e Pia Marta, problema de saneamento básico, que pioram em tempo de chuva, falta de água, no Distrito da Sapu, desassoreamento de valas de drenagem, insuficiência de escolas e centros de saúde, bem como asfaltagem das vias secundárias e terciárias para desafogar o trânsito automóvel, mas o mais importante é encontrar soluções.    

Manuel Homem deu a conhecer que o Kilamba Kiaxi está abrangido num programa de aumento da rede de água potável, que está à espera de recursos financeiros para a sua implementação, o que ultrapassa a Administração Municipal.  

"Antes de vir, estive reunido com o ministério da Energia e Águas, porque há desafios que devemos vencer e muitos deles ultrapassam a capacidade do administrador municipal”, referiu, acrescentando que o problema de falta de água e saneamento básico tem de ser resolvido de forma integrada.   

Durante o encontro de auscultação, Adão Pedro, membro da Comissão de Moradores, disse que os projectos, como o de combate à pobreza, não têm se reflectido na via dos munícipes, assim como do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), que não devia ser implementado sem uma consulta prévia à comunidade, porque é ela que conhece as reais necessidades.  

Sobre as reclamações dos munícipes sobre a fraca actuação da Administração Municipal, o governador realçou a importância de se ter uma governação mais participativa, primando pelo diálogo, desafiando as Administrações Municipais a disponibilizarem informações ou começarem a prestar contas à população. 

"Nós escutamos as vossas preocupações e vamos trabalhar para analisar cada uma delas. Há aquelas que a curto prazo terão respostas do GPL e outras que vão exigir contacto com outras instituições do Estado".  

Segundo dados da Administração Municipal, o Kilamba Kiaxi conta com 32 escolas públicas, 24 comparticipadas e 367 privadas. Neste ano lectivo, foram matriculados 198.274 alunos. O município precisa de 198 docentes e 10.000 carteiras, para inserir 30.520 crianças que se encontram fora do sistema de ensino.

Nos últimos tempos, foram construídas cinco salas de aula anexas à escola 8020 (Arnad Jansen), que, este ano, poderá acolher mais 118 alunos, além dos 267 matriculados no ano anterior. 

O município tem três centros de saúde em execução no âmbito do PIIM, dos quais dois no Distrito do Golfe e um no Distrito Urbano do Nova Vida. 

O administrador municipal, Fernando Cardoso, reconheceu que o abastecimento de água no Kilamba Kiaxi não é dos melhores, em função da carência que se verifica na produção e distribuição, afectando, principalmente, no Golfe, a zona do Banga We, Rastas, Quintalão do Petro, Nzage, Malanjino, Mandongo, Ilhas dos Imbondeiros, Subzona 10 e Balumuca, e, no Palanca, o Capolo I e II, Sapu, nos sectores 14, 16, Vitória é Certa, sector 11 A, B e C. No Nova Vida, a falta de água é mais frequente nos prédios da Vila Estoril e parte do bairro 28 de Agosto.

  MINEA e GPL reforçam os laços de cooperação 

O Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, manteve, ontem, um encontro com o governador da província de Luanda, Manuel Homem, para reforçar  as relações de cooperação e afinar os mecanismos para o incremento de canais de relacionamento com a população, segundo um comunicado de imprensa, enviado à nossa redacção.

O encontro, ocorrido na sede do Ministério da Energia e Águas, serviu, também, para traçar estratégias para melhorar os níveis de relacionamento entre os técnicos do Governo Provincial de Luanda (GPL),  Empresa de Distribuição de Electricidade (ENDE) e Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL), tendo em conta o crescimento vertiginoso da província. 

Durante o encontro, o presidente do Conselho de Administração (PCA) da EPAL falou sobre os constrangimentos que se verificam no abastecimento de água à população, com destaque para a ocupação desordenada de algumas áreas do território, défice na produção e insuficiências na rede de distribuição, que, devido ao tempo, está quase obsoleta (principalmente no  casco urbano), bem como sobre ligações clandestinas (garimpo de água) e vandalização da rede. Para inversão do quadro, o PCA da EPAL apontou as acções estruturantes levadas a cabo pelo Executivo.

O PCA da ENDE fez uma apresentação dos ganhos, da disponibilidade dos serviços e realçou a questão da vandalização dos projectos de expansão da rede de energia, que dificulta o aumento da taxa de electrificação.

Os governantes foram unânimes em reconhecer a necessidade de se melhorar os serviços de água na capital, devendo-se reforçar a comunicação entre a EPAL e o poder local (administrações), tendo-se recomendado o estudo soluções, para minimizar o nível de reclamações, bem como estratégias para o combate ao garimpo de água.

 O ministro solicitou ao governador provincial de Luanda assento para representantes da EPAL e ENDE, no Conselho da Província, para que as inquietações da população cheguem rapidamente às respectivas empresas.

O anfitrião disse que, enquanto se aguarda pela construção do BITA, que resolverá o problema da zona sul da cidade, estão a ser criadas medidas intercalares, para melhorar o abastecimento de água. Foram dadas orientações para que se melhore o abastecimento de água e energia ao Mussulo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade