Regiões

Mais técnicos agrários no mercado de trabalho

Justino Victorino / Huambo

Jornalista

No total, 1.951 novos técnicos agrários, formados em gestão agrícola de recursos florestais, produção vegetal e animal e agro-alimentar, pelo Instituto Técnico Agrário do Huambo (ITAH), foram lançados para o mercado de trabalho em 2008 e destes, 300 conseguiram um emprego directo, anunciou, ontem, o director da instituição.

13/09/2022  Última atualização 09H36
Instituto tem um internato com capacidade para acolher mais de 200 estudantes sobretudo jovens provenientes de várias províncias © Fotografia por: Justino Victorino | Edições Novembro

António Sapalo disse que muitos destes quadros estão inseridos em empresas estatais e  privadas, ligadas ao sector Agrário, fazendas, centros de tecnologias alimentar e aviários. A formação, continuou, tem a duração, no médio, de quatro anos , enquanto a básica pode ser feita em menos de um ano.

O director da instituição mostrou satisfação pela qualidade académica e profissional dos quadros colocados no mercado de trabalho, por serem talentos que não contribuir para o desenvolvimento do Huambo.

Para a direcção do Instituto Técnico Agrário, referiu, é uma satisfação ver os quadros formados terem sucesso e a conseguirem corresponder as expectativas. "A instituição é considerada hoje uma referência na formação de técnicos básicos de mecanização agrícola e quadros médios de produção animal e vegetal”, destacou.

 

Internato

O Instituto tem um internato com capacidade de acolher 260 estudantes, sobretudo jovens de várias províncias do país, em busca de uma formação de qualidade. António Sapalo adiantou que desde a criação da instituição já foram formados mais de 800 técnicos, em diversas especialidades.   

Este ano, continuou, o Instituto Técnico Agrário do Huambo matriculou 1.185 alunos, da 7ª à 13ª classe, nos cursos de Produção Vegetal, Produção Animal, Gestão Agrícola  de Recursos Florestais e no básico profissional de Mecanização Agrícola e Auxiliar de Agricultura. Actualmente, disse, a formação é garantida por 72 professores.   

 

Curso básico

O Instituto Técnico Agrário do Huambo, referiu, criou um curso para potenciar as famílias que vivem nas imediações da instituição e os ajudar a fortalecer a agricultura. "A escola tem um curso básico para alunos da 7ª e 8ª classe, dado especialmente aos estudantes que vivem ao redor da escola”, disse, acrescentando que a direcção da escola decidiu implementar este curso para educar os filhos, cujos pais são agricultores, com conhecimentos técnicos sobre a actividade agrícola. 
  

A instituição

Com a capacidade para albergar 1.440 alunos, a instalação dispõe de 20 salas de aula, com laboratórios de física, química, biologia, informática e zootecnia, com equipamentos modernos.

António Sapalo explicou que, além da componente teórica, os estudantes recebem ainda aulas práticas, em campos agrícolas, cultivados por eles. "Temos um aviário que usamos nas aulas de  produção animal, de forma que os alunos aprendam a administrar vacinas”.

O Instituto Agrário, esclareceu, tem um papel essencial para a população estudantil, pelo facto de a formação técnica ajudar a fortalecer o sector da Educação. Nos próximos anos, disse, a instituição pretende aumentar o número de cursos, com o de Recursos Florestais e Conservação de Produtos, entre os prioritários.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões