Mundo

Mais de uma centena de civis mortos em protestos contra golpe de Estado no Sudão

A morte de um civil hoje aumentou para 114 o número de manifestantes mortos em protestos contra o golpe de Estado militar de Outubro no Sudão, onde se mantêm cortadas várias estradas na capital para impedir os manifestantes.

02/07/2022  Última atualização 20H24
Protestos contra golpe de Estado © Fotografia por: DR

A última vítima morreu num hospital de Cartum, onde recebia tratamento após ter sido atingida por uma bomba de gás lacrimogéneo nos protestos de 16 de Junho, explicou o Comité dos Médicos de Sudão.

A mesma fonte publicou, na quinta-feira, um relatório com a contagem final de vítimas das marchas e protestos, confirmando a morte de nove civis e outros 629 feridos, no dia mais sangrento desde o golpe de 25 de Outubro.

"Vários ferimentos foram causados por tiros, disparos dispersos, e ferimentos ligeiros como resultado de ataques direitos com bombas de gás lacrimogéneo e golpes com bastões", acrescentou.

A oposição sudanesa convocou hoje novas marchas em Cartum e centenas de pessoas reuniram-se no sul da capital, enquanto as forças de segurança fecharam os acessos ao Palácio Presidencial e ao quartel-general do Comando das Forças Armadas.

Na sexta-feira, a polícia sudanesa admitiu que uma das suas tropas disparou contra os manifestantes durante as marchas de quinta-feira e garantiu que vai abrir uma investigação, embora não tenha confirmado o número de vítimas registadas nesse dia de protestos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo