Sociedade

Mais de três mil efectivos asseguram a quadra festiva

Lourenço Bule| Menongue

Jornalista

Mais de três mil efectivos dos órgãos do Ministério do Interior (Minint), Forças Armadas Angolanas (FAA) e das empresas de segurança privada, no Cuando Cubango, foram mobilizados para o asseguramento da quadra festiva em toda a extensão territorial da província.

24/12/2021  Última atualização 09H15
Policica Nacional © Fotografia por: Edições Novembro
A informação foi avançada à imprensa, quarta-feira, na cidade de Menongue, pelo porta-voz da Polícia Nacional (PNA), intendente Alberto Pacheco, durante a apresentação das forças e dos meios para o asseguramento das festas de Natal e Fim de Ano.

Alberto Pacheco sublinhou que os efectivos vão ser desdobrados em todos os bairros, com realce para as "zonas negras” do Cuando Cubango, de modo a garantir que a população festeje o Natal e passagem de ano com tranquilidade, segurança e paz.

O intendente fez saber que, este ano, foram convocados, pela primeira vez, os efectivos das empresas de segurança privada, para prestarem uma certa responsabilidade no que tange ao objecto social da Polícia Nacional, tendo em conta que também fazem parte da manutenção da ordem.  

Segundo o porta-voz, apesar do número de efectivos e meios técnicos não serem o desejado, as forças de Defesa e Segurança estão preparadas para o asseguramento da população, durante e depois da quadra festiva. "Durante o período festivo, há tendência de cometimento de crimes de vária natureza, motivadas pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Nesta senda, é necessário que os efectivos em serviço convivam com a população, para que se evite excessos e a actuação esteja nos limites da lei”, recomendou.

Alberto Pacheco salientou que os efectivos em serviço devem pautar por uma actuação de ponderação e sensibilização, saber compreender o cidadão e recorrer a detenção ou uma outra actuação apenas como último rácio, para que a quadra festiva decorra num clima de harmonia e sã convivência.

Dados locais apontam que o índice de criminalidade na província do Cuando Cubango é estável, apesar do registo de crimes cometidos com recurso a armas de fogo, muitas destas fornecidas por efectivos de empresas de segurança privada.
Por isso, Alberto Pacheco apelou aos efectivos das empresas de segurança privada a absterem-se de práticas criminosas, tendo em conta que, durante o ano em curso, já foram registados três crimes, nos quais foram coniventes efectivos de empresas de segurança em serviço nos estabelecimentos comerciais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade